Tag: Cinema

Longa-metragem do caçador de corruptos traz Kiko Pissolato como personagem-título. (📷 Paris Entretenimento / Divulgação) 

A Downtown Filmes divulgou o trailer oficial do longa brasileiro inspirado na HQ, O Doutrinador. O público poderá conferir cenas do personagem-título em ação, combatendo seus principais inimigos: políticos e empresários corruptos. Kiko Pissolato vive o protagonista Miguel, um agente federal que conhece de perto as engrenagens do sistema e, ao sofrer uma tragédia pessoal, se torna um vigilante e decide combater a corrupção de forma atormentada e implacável: eliminando os corruptos. O filme estreia no dia 20 de setembro.

Personagem criado pelo quadrinista Luciano Cunha, O Doutrinador ganhou repercussão nas redes sociais com a premissa de ser um agente das forças especiais determinado a dar um fim na corrupção caçando corruptos de todas as matizes ideológicas. Depois de ganhar o mundo, com resenhas em vários países como EUA, Inglaterra e Argentina e com três edições impressas esgotadas no Brasil, o quadrinho, além de filme, vai virar também série. Sob a direção de Gustavo Bonafé (Legalize Já e Chocante) e codireção de Fabio Mendonça (A Noite da Virada), chega aos cinemas com nomes no elenco como Eduardo Moscovis, Marília Gabriela, Helena Ranaldi , Tainá MedinaCarlos Betão , Samuel de Assis e Tuca Andrada.

Já a série, que será exibida no canal Space, tem direção geral de Bonafé, enquanto Mendonça dirige alguns episódios.  O filme e a série foram criados pelo próprio Luciano Cunha e Gabriel Wainer, que também assinam o roteiro ao lado de Mirna Nogueira, LG Bayão, Guilherme Siman, Rodrigo Lage e Denis Nielsen. O filme tem a distribuição da Downtown/Paris Filmes.

Assista ao trailer: 

Crítica | O Orgulho

Filme tem estreia marcada nesta quinta-feira, 19 de julho. (📷 Pandora Filmes / Divulgação)

Neïla Salah (Camélia Jordana) é uma jovem descendente árabe que mora no distrito de Créteil, uma zona marginalizada de Paris. Seu sonho é se tornar advogada e ela se matricula na Universidade de Assas, conhecida por ser uma escola de extrema direita. Na sua primeira aula, o reconhecido professor Pierre Mazard (Daniel Auteuil) a insulta pelo seu gênero e descendência árabe. O professor não se desculpa, mas Neïla rebate as acusações e é apoiada pelos colegas de sala.

A diretoria da escola pressiona o professor a se redimir ao treinar Neïla para um importante concurso de retórica entre universidades francesas. Pierre aceita meio relutante e convence Neïla a participar do concurso e ser tutorada pelo professor, apesar de não ter conhecimento de suas verdadeiras motivações. Em paralelo, Neïla ainda lida com sua paixão pelo seu amigo de infância Mounir (Yasin Houicha). O romance entre os dois é fortemente afetado pelas aulas e conhecimento adquirido de Neïla em sala.

A direção do franco-israelense de Yvan Attal é pouco inspirada e lhe falta ousadia. A narrativa do filme é um pouco clichê, mas possui diálogos bem construídos e excelentes atuações da atriz Camélia Jordana e do ator Daniel Auteuil, que não são bem aproveitados com seus personagens bidimensionais. Enquanto o papel do professor é desprezível o filme todo, o papel de Neïla, uma mulher de personalidade forte, é por vezes incoerente nas ações que a personagem escolhe (como aceitar ser tutorada pelo professor sem muito questionamentos).

O final do filme é um tanto polêmico. Pode construir discussões acerca do fato de que se o discurso de ódio do professor é realmente punido ao longo da projeção. Fica um questionamento se a moral da trama é que se pode aprender lições valiosas, mesmo de pessoas fascistas. Além de uma cena completamente desnecessária e controversa da Neïla em seu futuro como advogada burocrata.

O Orgulho aborda uma temática importante e relevante no contexto contemporâneo da França e da Europa com seus imigrantes muçulmanos. Entretanto, a direção e roteiro é incoerente e infeliz nas suas abordagens ao tema.

Assista ao trailer: 

Filme tem estreia marcada para março de 2019. (📷 Paramount Pictures / Divulgação) 

A Paramount Pictures divulgou o trailer oficial da nova animação O Parque dos Sonhos, que estreia no Brasil em março de 2019. Produzido por Josh Appelbaum, André Nemec e Kendra Haaland, o filme conta a história de um parque de diversões onde a imaginação de June, de 12 anos, ganha vida.

Roteirizado por Josh Appelbaum e André Nemec, o longa-metragem vai ganhar as vozes dos renomados atores Jennifer Garner, Matthew Broderick, John Oliver, Mila Kunis, Kenan Thompson, Ken Jeong, Norbert Leo Butz, Brianna Denski e Ken Hudson Campbell.

Assista ao trailer: 

Atriz veterana completa 75 anos de carreira em 2018. (📷 Divulgação)

Uma das maiores atrizes do Brasil, Fernanda Montenegro, que completa 75 anos de carreira em 2018, será homenageada no 17º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. A cerimônia está confirmada para o dia 18 de setembro, na Cidade das Artes, com direção artística de Ivan Sugahara e transmissão ao vivo do Canal Brasil.

Em breve serão divulgados os filmes que estarão concorrendo este ano.

Um dos mais aguardados filmes do gênero, estreia nesta quinta-feira, 05 de julho, em circuito nacional. (📷Marvel Studios / Divulgação) 

Nesta quinta-feira, dia 5 de julho,  Homem-Formiga e a Vespa chega aos cinemas. O longa-metragem que é o primeiro a ter o nome de uma super-heroína no titulo em toda historia dos filmes da Marvel, vem com força total e essa sequencia definitivamente supera as expectativas.

Após os eventos ocorridos depois de Capitão América: Guerra Civil, Scott Lang sofre grandes consequências, e seu lance com Hope não é mais o mesmo.

A trama não perde tanto tempo se explicando, partindo para a ação e essa escolha do roteiro foi fundamental. Entre  perseguições e lutas, o espectador entende os motivos dos personagens, e as escolhas que o fizeram chegar até aqui.

O ritmo é bom, as coreografias são bem ensaiadas, Hope (Evangeline Lilly) tem seu destaque merecido, mas ainda é ofuscada com a presença de Scott (Paul Rudd) aparecendo eventualmente para ”salva-la do mal”, ainda falta muito (ou até 2019?) para se ter uma super-heroína. Coisa que não acontece, por exemplo, no relacionamento de Scott e sua filha Cassie, que é retratado na tênue linha entre amor fraternal e o altamente piegas, isso funciona? Funciona, pois Abby Ryder é muito carismática e suas cenas são todas muito bem dirigidas. 

O longa ainda conta com alguns vilões, destaque para Hannah John-Kamen e a sua personagem, que está de arrepiar. Uma pena que sem o disfarce a atuação da atriz seja muito caricata. Walton Goggins aparecendo só para ser o ”malvado do crime organizado”, e mesmo com tantos personagens, o final de cada trama é bem satisfatório.

Enfim, você deve está imaginando que se o primeiro ato do filme já começa acelerado, mostrando ao que veio, já se pode imaginar como o terceiro ato termina, não é? A formula do final feliz.  Bom.. não nesse caso. A cena final de Homem-Formiga e a Vespa é um soco no estômago, e tem aquela fórmula Marvel que te faz implorar por uma continuação.

Assista ao trailer: 

Para um experiência ainda mais incrível, os fãs poderão optar pelas salas UCI IMAX, UCI XPLUS ou UCI 4DX. (📷 Marvel Studios / Divulgação)

Homem-Formiga e a Vespa chega na UCI no dia 5 de julho e a pré-venda de ingressos para todos os cinemas da rede já está aberta. Os fãs dos heróis da Marvel já podem se preparar: na véspera do lançamento, na madrugada do dia 4, haverá sessões exclusivas nas salas de todo o país, incluindo as especiais.

O filme será o destaque da semana do programa de relacionamento da rede, o UCI UNIQUE, e os clientes podem garantir seus ingressos com desconto exclusivo.

Para quem não quer perder nenhum detalhe das aventuras da dupla de super-heróis contra a vilã Fantasma, a dica é assistir ao filme com toda a tecnologia das salas especiais – que proporcionam experiências incomparáveis:

Na IMAX (no Rio de Janeiro, São Paulo, Ribeirão Preto, Recife e Fortaleza), as telas são quatro vezes maiores do que as de projeção digital comum e geram imagens com muito mais brilho, nitidez e profundidade. Áudios superpotentes alinhados a laser, que são distribuídos por todo o ambiente através de 24 canais com 18.000 watts de potência. A tecnologia dos alto-falantes permite identificar a localização específica de cada ruído, possibilitando sensações indescritíveis.

As salas XPLUS (Salvador, Manaus, Curitiba, Fortaleza, São Luís, Canoas, Rio de Janeiro, Recife e São Paulo), têm outro diferencial. Além das telas gigantes, com exibição em 3D, a tecnologia Dolby Atmos utiliza canais de áudio com até 128 deslocamentos simultâneos de objetos sonoros, proporcionando uma riqueza de detalhes e profundidade impressionantes, que criam a ilusão de um campo de som infinito ao redor do espectador. As caixas acústicas ficam localizadas inclusive no teto, para preencher a sala com o retrato sonoro mais preciso do filme, exatamente da maneira como o diretor o imaginou.

No Rio de Janeiro (UCI New York City Center) e no Recife (UCI Kinoplex shopping Tacaruna) a rede conta com as únicas salas XPLUS Laser do país, que torna ainda mais surpreendente a qualidade das imagens. A diferença de se assistir a um filme projetado a laser é enorme, com cores mais vibrantes, contraste mais profundo e brilho muito mais intenso. A tecnologia inovadora oferece a melhor qualidade de imagem e desempenho de cores disponíveis atualmente.

As salas 4DX (Rio de Janeiro e São Paulo) têm cadeiras que vibram e se movimentam, além de 20 efeitos especiais. Durante as exibições, dependendo das cenas, o espectador é impactado por diversas sensações e aromas. No UCI NYCC, no Rio, o público poderá perceber chuva, vendaval, neblina, trovão, bolhas d´água, luzes e tempestade (rainstorm), que combina ventos fortes com gotas de chuva e cria redemoinhos de água em cima do público. Mas, quem preferir sair seco da sessão, poderá desligar o botão “water”. Já no UCI Anália Franco, a sala especial conta ainda com o exclusivo efeito neve – o único no país.

Assista ao trailer: 

A animação em stop motion estreia no dia 19 de julho. (📷 20th Century FOX / Divulgação) 

A Fox Film do Brasil divulgou novo pôster de Ilha dos Cachorros, stop motion dirigido por Wes Anderson. No cartaz, se ver Atari Kobayashi ao lado dos cães que o acompanham nessa aventura. Ilha dos Cachorros (Isle Of Dogs) estreia no próximo dia 19 de julho.

No filme, Atari Kobayashi é um garoto japonês de 12 anos de idade. Ele mora na cidade de Megasaki, sob tutela do corrupto prefeito Kobayashi. O político aprova uma nova lei que proíbe os cachorros de morarem no local, fazendo com que todos os animais sejam enviados a uma ilha vizinha repleta de lixo. Mas o pequeno Atari não aceita se separar do cachorro Spots. Ele convoca os amigos, rouba um jato em miniatura e parte em busca de seu fiel amigo. A aventura épica vai transformar completamente a vida da cidade.

Confira o pôster: 

Segundo filme da nova franquia estreia nesta quinta-feira, 21 de junho, em circuito nacional. (📷 Universal Pictures / Divulgação)

A continuação de um dos filmes que mais rederam bilheterias nos últimos anos, chega ao cinema nessa quinta-feira, 21 de junho. Jurassic World: Reino Ameaçado conta com a direção de Juan Antonio Bayona (ou J. A. Bayona), que também foi o responsável pelo longa Sete Minutos Depois da Meia-Noite.

Chris Pratt e Bryce Dallas Howard estão de volta, e sem muitas delongas o arco deles é apresentado, sem focar no relacionamento dos personagens e em um ou dois diálogos, o espectador é brevemente apresentado ao que ocorreu nesse curto período de tempo. Aqui, os dinossauros são prioridades.

James Cromwell interpreta agora um personagem que já foi apresentado ao universo da saga, Benjamin Lockwood, que é brevemente reapresentado para quem não tem lá uma boa memoria. Ele, e seu assistente Eli Mills (Rafe Spall), são a introdução da continuação da historia, ambos personagens, infelizmente não foram tão bem aproveitados e se limitam a ser mais dos mesmos. Assim como boa parte do roteiro do filme.


No quesito ação, o longa-metragem não decepciona: larva de fogo, briga entre dinossauros, tiro, porrada e bomba. Tudo com aquela longa camada de absurdos cinematográfico que todos adoram ver, e que sim, funciona! É difícil não ficar vidrado na cadeira do cinema. É difícil não criar um vínculo emocional pela sobrevivência, só que dessa vez, não são pelos humanos que a a plateia torce.

Jurassic World: Reino Ameaçado ainda abusa do clima nostálgico, trazendo fugas de roteiro dos filmes anteriores. Um dos poucos arcos originais, é o que envolve a atriz mirim Isabella Sermon e foi uma escolha um tanto quanto ousado… foi difícil de encarar a proposta de inicio, mas no finalzinho do terceiro ato, tudo faz sentido. Ato final esse, que dá a entender que tem continuação vindo por aí. 

Em suma, Jurassic World: Reino Ameaçado é uma boa continuação do legado cinematográfico que Steven Spielberg idealizou em 1993. Cumpre com maestria a sensação de nostalgia e não deixa a desejar nas cenas de ação, e nem nos efeitos visuais e especiais. Não tem lá um grande roteiro original, mas acerta pela primeira vez em direcionar carisma em dosagem certa aos seus grandes protagonistas: os dinossauros.

Assista ao trailer: 

O 26º Anima Mundi começa no dia 21 de julho no Rio de Janeiro e no dia 01 de agosto em São Paulo. (

Este ano a animação brasileira foi homenageada no Festival de Annecy com mostras especiais curadas pela direção do Anima Mundi. Além disso, dois filmes brasileiros levaram prêmios para casa: Rodrigo Faustini ganhou o Cristal de melhor curta-metragem na categoria “Off Limits” com Garoto Transcodificado a partir de Fosfeno. E Mateus de Paula Santos venceu na categoria de filmes para a TV, por Leica – Everything in Black and White. Os dois premiados brasileiros já estavam selecionados para a edição 2018 do Anima Mundi e serão vistos por aqui também.

Como já é tradição, muitos dos filmes premiados no último sábado em Annecy estarão na programação do Anima Mundi. Na edição de 2018, o público brasileiro poderá assistir a onze vencedores do consagrado festival francês, que é um dos mais importantes eventos de animação do mundo. São eles: o longa-metragem The Breadwinner, que ganhou o prêmio do público para melhor longa (coprodução de Canadá, Irlanda, Luxemburgo) e os curtas Hybrids (França), Weekends (EUA), Inanimate (Reino Unido),  Biciklisti (Croácia), Ce Magnifique Gâteau (Bélgica, França, Holanda), Happiness (Reino Unido), La Mort, Père & Fils (França) e Vivat Musketeers! (Rússia). 

O 26º Anima Mundi começa no dia 21 de julho no Rio e no dia 1º de agosto em São Paulo e apresentará 405 filmes de 40 países.

Mais informações em: www.animamundi.com.br

Michael B. Jordan, Sylvester Stallone e Tessa Thompson reprisam seus papéis, com direção de Caple Jr e produção executiva de Ryan Coogler

A Warner Bros. Pictures divulgou nesta quarta-feira, 20 de junho, o primeiro trailer e arte do aguardado longa-metragem Creed II, que conta com os astros Michael B. Jordan e Sylvester Stallone reprisando seus papéis como Adonis Creed e Rocky Balboa, respectivamente. O vídeo mostra um pouco da preparação de Adonis para encarar seu mais novo rival: Viktor Drago, filho do lendário rival de Rocky, Ivan Drago.

O longa, que tem previsão de estreia para 24 de janeiro de 2019 no Brasil, é a sequência do aclamado sucesso Creed – Nascido para Lutar, de 2015, que arrecadou mais de US$ 170 milhões de bilheteria global.

Confira a arte:

Assista ao trailer: 

Dirigido por Wes Anderson, “Ilha dos Cachorros” estreia dia 19 de julho no Brasil. (📷 20th Century FOX / Divulgação)

A Fox Film do Brasil divulgou o trailer e a data de estreia de Ilha dos Cachorros (Isle Of Dogs), novo longa-metragem de Wes Anderson. No filme, Anderson retorna ao estilo stop-motion de O Fantástico Sr. Raposo (2009) e apresenta grande elenco de dubladores com os atores Bryan Cranston, Scarlett Johannson, Frances McDormand, Edward Norton, Yoko Ono, Bill Murray, Liev Schreiber, Jeff Goldblum e Tilda Swinton. Ilha dos Cachorros estreia em 19 de julho..

Atari Kobayashi é um garoto japonês de 12 anos de idade. Ele mora na cidade de Megasaki, sob tutela do corrupto prefeito Kobayashi. O político aprova uma nova lei que proíbe os cachorros de morarem no local, fazendo com que todos os animais sejam enviados a uma ilha vizinha repleta de lixo. Mas o pequeno Atari não aceita se separar do cachorro Spots. Ele convoca os amigos, rouba um jato em miniatura e parte em busca de seu fiel amigo. A aventura épica vai transformar completamente a vida da cidade.

Assista ao trailer: 

A diretora Patty Jenkins e a estrela Gal Gadot unem-se novamente para o retorno da Super-Heroína da DC à tela grande. (📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)

Avançando para os anos 1980, a próxima grande aventura da super-heroína Mulher-Maravilha traz uma nova inimiga: a Mulher-Leopardo. As filmagens da sequência de Mulher-Maravilha, que arrecadou US$ 822 milhões de bilheteria em todo o mundo, já começaram. Intitulado Mulher-Maravilha 1984, o longa-metragem será dirigido novamente pela aclamada diretora Patty Jenkins, com a estrela Gal Gadot no papel principal. A Warner Bros. Pictures também divulga as primeiras imagens do longa, que mostram a atriz e o retorno de um importante personagem: Steve Trevor, interpretado por Chris Pine.

O filme também é estrelado por Kristen Wiig no papel da super-vilã Mulher-Leopardo e Pedro Pascal.

Charles Roven, Deborah Snyder, Zack Snyder, Patty Jenkins, Stephen Jones e Gal Gadot produzem o filme. Rebecca Roven Oakley, Richard Suckle, Wesley Coller, Geoff Johns e Walter Hamada são os produtores executivos.

A produção será filmada em Washington, D.C. e Alexandria (Virgínia), nos EUA, e também em locações no Reino Unido, Espanha e Ilhas Canárias.

Com lançamento previsto para os cinemas brasileiros em 31 de outubro de 2019, Mulher-Maravilha 1984 é baseado na personagem criada por William Moulton Marston, aparecendo nos quadrinhos publicados pela DC Entertainment. O filme será distribuído mundialmente pela Warner Bros. Pictures.

Confira as imagens: 

(📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)
(📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)

Filme de horror brasileiro, estreia nesta quinta-feira, 07 de junho. (📷 Imovision / Divulgação) 

O cinema de gênero nacional está voltando ao mercado com força e boa qualidade. É o caso de Motorrad, que fez a abertura de 2018 e surpreendeu pela boa produção. No próximo ano, é aguardado o terror Recife Assombrado, de Adriano Portela. Mas nesta quinta-feira, 07 de junho, estreia o filme do gênero horror, As Boas Maneiras.

Na sinopse, Clara, enfermeira solitária da periferia de São Paulo, é contratada pela rica e misteriosa Ana como babá de seu futuro filho. Uma noite de lua cheia muda para sempre a vida das duas mulheres.

A dupla Juliana Rojas e Marco Dutra (Trabalhar Cansa) que se conheceram ainda na Universidade e sempre realizam seus trabalhos em parceria, criam um universo lendário, baseado no lobisomem, de uma forma muito exitosa. O espectador conhecerá uma obra diferente de tudo o que já leu. O roteiro e direção de Rojas e Dutra criam um ambiente novo para contar a história, já conhecida através das lendas brasileiras. Eles substituem a zona rural pela urbana com edifícios, escolas, grande número de população, centros de compras etc. O que contribui para a essência da trama.

📷 Imovision / Divulgação

Utilizando as técnicas de animação bem desenvolvida, a protagonista Ana (Marjorie Estiano) narra uma história sinistra para Clara (Isabél Zuaa), explicando como conseguiu aquela gravidez. Não sabem elas, o que Ana carrega em seu ventre. O garoto Joel, filho de Ana e criado por Clara, vivido por Miguel Lobo, também não decepciona e retrata uma criança com seus sonhos, suas brincadeiras, amizades e malcriações também. 

As protagonistas desempenham um ótimo papel e, juntas, carregam a química necessária para passar toda a carga dramática das personagens para o espectador. E tanto Estiano, quanto Zuaa conseguem mostrar uma ótima interpretação. 

Um ponto forte da produção está nos efeitos visuais. A criação do lobisomem é bem fiel e não parece artificial, o que já é muito bom. O personagem que interpreta o lobisomem se apresenta como humano e também no processo de transformação e tudo é mostrado com perfeição na tela grande.   

As Boas Maneiras é um filme do gênero horror, lançado para provar que de gênero o cinema nacional também entende e consegue realizar. Claro que com todas as dificuldades, mas com boa qualidade.

Assista ao trailer: 

Confirmando seu papel como um dos maiores festivais de animação do mundo, o Anima Mundi tem produções da Coréia do Sul, Croácia, Bélgica e Polônia, entre outros. 

 Consagrado como a principal plataforma de fomento à animação do país e responsável pela formação de toda uma geração de realizadores e de um público apaixonado, o Anima Mundi anunciou nesta terça-feira, 05 de junho, os filmes selecionados para sua 26ª edição, entre os dias 21 e 29 de julho, no Rio de Janeiro, e entre 1º e 5 de agosto, em São Paulo. A programação soma 405 produções, vindas de 40 países, que apresentam um panorama do que há de melhor no mercado de animação. Divididas por categorias, as mostras competitivas são as seguintes: Curta (95 títulos), Curta Infantil (61), Longa-Metragem (3), Longa-Metragem Infantil (4), Galeria (27 filmes experimentais + 1 Galeria Especial) e Portfólio (33 filmes publicitários ou feitos sob encomenda).

As mostras não-competitivas são Panorama (57 curtas internacionais que apresentam diversas tendências dentro da animação), Animação em Curso (53 trabalhos finais das melhores escolas de animação do mundo), Olho Neles! (29 curtas nacionais que merecem atenção) e Futuro Animador (42 filmes que utilizam as linguagens da animação para experiências educativas).

Confira aqui a lista completa com os filmes selecionados: http://www.animamundi.com.br/pt/selecionados-2018/

📷 Anima Mundi / Divulgação

Rede abre pré-venda para as sessões especiais do premiado filme de Steven Spielberg, de 7 a 10 de junho, nos cinemas de todo o Brasil. (📷 Universal Pictures / Divulgação) 

Vencedor do Oscar® nas categorias Efeitos Especiais, Edição de Som e Som, o antológico Jurassic Park: Parque dos Dinossauros (1993), de Steven Spielberg, está completando 25 anos. Para celebrar a data, a rede UCI vai promover o UCI Day Jurassic com sessões nos formatos 3D e 3D IMAX entre 7 e 10 de junho, em todos os 24 cinemas da rede pelo Brasil.

No Rio, quem for ao UCI New York City Center no dia 7 de junho, quinta-feira, poderá assistir ainda a uma apresentação especial da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES) antes da sessão das 21h30 na sala IMAX, com a famosa música-tema do filme, assinada pelo maestro e compositor americano John Williams.

Os fãs da franquia já podem comprar os ingressos para o UCI Day Jurassic acessando o site www.ucicinemas.com.br, nas bilheterias e terminais de autoatendimento da rede ou pelos canais Ingresso.com. Cliente UCI UNIQUE paga meia-entrada.

Nas salas IMAX (no Rio de Janeiro, São Paulo, Ribeirão Preto, Recife e Fortaleza), os fãs terão a sensação de total imersão no Parque. A exibição nas telas gigantes – quatro vezes maiores do que as de projeção digital comum – geram imagens com muito mais brilho, nitidez e profundidade. O áudio superpotente alinhado a laser, distribuído por todo o ambiente através de 24 canais com 18 mil watts de potência, cada, possibilita que os apaixonados pela série possam acompanhar cada detalhe sonoro da aventura, inclusive a aproximação do T-Rex, já que a tecnologia dos alto-falantes permite identificar a localização específica de todos os ruídos.

Jurassic Park foi relançado nos cinemas em 3D em abril de 2013 e arrecadou mais de 40 milhões de dólares nos Estados Unidos e no Canadá. Com isso, tornou-se o primeiro filme da Universal Pictures e, também, de Spielberg, a ultrapassar a marca de 1 bilhão de dólares de arrecadação em todo o mundo. O filme segue como um dos mais assistidos 25 anos após a estreia nos cinemas: atualmente ocupa a 28ª posição no ranking dos 100 filmes com maior bilheteria. Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (2015) é o quinto da lista.   

Também já estão à venda os ingressos de Jurassic World: Reino Perdido, novo filme da franquia, que estreia no próximo dia 21 de junho, com pré-estreias a partir do dia 14. O lançamento será o destaque da semana do programa de relacionamento da rede, o UCI UNIQUE. Durante a semana de pré-estreia e na primeira semana de exibição (14 a 27/06), os associados podem comprar as entradas com preços especiais.

SERVIÇO:
UCI Day Jurassic, com exibição de “Jurassic Park: Parque dos Dinossauros”: 
Datas: 7, 8, 9 e 10 de junho
Horários: 16h e 21h30
Valores: R$20,00 (3D) e R$25,00 (3D IMAX)

Aventura épica em 3D baseada na série de livros de Philip Reeve chega aos cinemas em dezembro. (📷 Universal Pictures / Divulgação) 

A Universal Pictures lançou nesta terça-feira, 05 de junho, o segundo trailer de Máquinas Mortais (Mortal Engines)nova produção do três vezes ganhador do Oscar Peter Jackson, sob direção do também premiado Christian Rivers.

Em Máquinas Mortais, milhares de anos depois que a civilização foi totalmente destruída por um evento cataclísmico, a humanidade se adapta à uma nova maneira de viver. Os poucos seres humanos que restam são forçados a viver em cidades móveis – estruturas gigantescas e mortais obrigadas a atacarem cidades menores para se reabastecerem de novos recursos.

Inteiramente filmado na Nova Zelândia, o longa tem roteiro assinado por Jackson e traz Hugo Weaving, Hera Hilmar, Robert Sheehan, Jihae, Ronan Raftery, Leila George, Patrick Malahide e Stephen Lang no elenco. A estreia está prevista para dezembro.

Assista ao trailer:

A penúltima noite de sessões do Cine PE 2018, contou com uma homenagem a empresa independente Box Brazil. (📷 Felipe Souto Maior / Divulgação)

A quarta noite do Cine PE – Festival do Audiovisual realizada neste domingo, 03 de junho, realizou mais uma homenagem. Depois de render homenagem à atriz Cássia Kis, ao ator Rodrigo Santoro e a uma lenda viva do cinema pernambucano – a cineasta Kátia Mesel –, o evento entregou o troféu “Calunga de Ouro” à emissora Box Brazil. Sandra Bertini, diretora do festival, subiu ao palco do Cinema São Luiz por volta das 21h30, para entregar a honraria máxima do evento ao diretor da empresa, Cícero Aragon, e sua equipe. “Cícero tinha um sonho, e esse sonho fez com que ele desse vida a o que é hoje a maior programadora independente do Brasil – e ele conseguiu implantar isso fora do eixo Rio-São Paulo. Eu acredito no empreendedorismo cultural e a Box Brazil tem sido extremamente importante para a valorização do audiovisual no país”, pontuou Sandra.

A noite contou com uma programação balanceada, de curtas-metragens com conteúdo profundamente político e social – como Universo Preto Paralelo, de Rubens Passaro, Peripatético, de Jéssica Queiroz, Lençol de Inverno, de Bruno Rubim e Frequências, de Adalberto Oliveira – a trabalhos mais leves e divertidos – como o engraçado Não Falo com Estranhos, de Klaus Hastenreiter, e o belo Insone, de Breno Guerreiro e Débora Pinto. Para encerrar o quarto dia de exibições, o festival apresentou o longa-metragem Henfil. O documentário dirigido por Angela Zoé traz informações e depoimentos sobre o cartunista, jornalista e escritor que dá nome à obra.

Durante a tarde, o Cine PE promoveu a “Mostra Kátia Mesel: 50 anos de Audiovisual”, com a projeção de oito dos curtas mais conhecidos da carreira da diretora.

Confira a programação desta segunda-feira, 04 de junho de 2018:

MOSTRA INFANTIL

Hora: 9h Local: Cine São Luiz

Acesso: alunos selecionados da rede pública de ensino

 MOSTRA INFANTIL DE LONGA METRAGEM

  • Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) – O Filme” (BR), Aventura, Direção: André Pellenz, 105’

MOSTRAS DE FILMES DO CINE PE 2018

Hora: 19:30 h Local: Cine São Luiz

Acesso: Gratuito com retirada antecipada de ingresso

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

(MOSTRA PE)

  • Edney (PE), Ficção, Direção: João Roberto Cintra, 15’
  • Seja Feliz (PE), Ficção, Direção: Diego Melo, 7’

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

  • (MOSTRA CURTA BRASIL)
  • Sweet Heart (SP), Ficção, Direção: Amina Jorge, 21’
  • Cine S. José (PE), Documentário, Direção: William Tenório, 11’

INTERVALO

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS

  • Meu tio e o joelho de porco (SP), Documentário, Direção: Rafael Terpins, 76’

Após finalmente conseguir espaço na agenda para receber homenagem, Rodrigo Santoro não conseguiu  segurar as lágrimas. (📷 Felipe Souto Maior / Divulgação)

Na terceira noite do Cine PE – Festival do Audiovisual, realizada neste sábado (02/06), Rodrigo Santoro não conseguiu segurar as lágrimas e caiu no choro, durante a homenagem pelo conjunto da sua obra. Com o Cinema São Luiz lotado, Santoro, homenageado da 22ª edição do evento, não conteve a emoção e se rendeu às lágrimas. “Eu vim no avião fazendo uma reflexão sobre o porquê de estar aqui recebendo este prêmio. E eu queria agradecer porque foi aqui no Cine PE, com ‘Bicho de Sete Cabeças’, em 2001, que a minha história começou”, rememorou. Palavras ditas, mais cedo, na coletiva de imprensa que o mesmo participou no Nobile Suítes Executive, em Boa Viagem, zona sul do Recife.

Enquanto o astro tentava se recompor, Cássia Kis irrompeu pela sala de projeção do tradicional cinema recifense: “Rodrigo, eu entrego o seu prêmio”. Kis, que  também foi premiada com o “Troféu Calunga de Ouro”, o mesmo que Santoro recebeu, na noite da última sexta-feira (01/06), foi convidada para entregar a honraria máxima do festival ao astro de Westworld, da HBO. Ao surpreender a todos não aguardando ser anunciada, Cássia emocionou não apenas Santoro, mas todo o público. Sandra Bertini, diretora-geral do festival, chegou ao fim da homenagem com os olhos bastante úmidos.

Sandra Bertini, diretora-geral do Festival, também ficou bastante emocionada. (📷 Felipe Souto Maior / Divulgação)

Antes da grande homenagem, os curtas-metragens da noite foram ovacionados pelos espectadores. Vidas Cinzas, de Leonardo Martinelli, foi um dos destaques da programação. O falso documentário, que aborda a atual crise social, política e econômica do Brasil, foi calorosamente aplaudido – especialmente ao surpreender os presentes com um depoimento da Vereadora carioca Marielle Franco, brutalmente assassinada em março deste ano, junto com o seu motorista, Anderson Gomes. O terceiro dia do evento também contou com a exibição dos elogiados curtas Através de Ti, de Diego Tafarel, e o ótimo Cara de Rato, de Benedito Serafim, e a animação Plantae, de Guilherme Gehr.

A terceira noite do Cine PE foi encerrada com as exibições dos longas-metragens Marcha Cega, de Gabriel di Giacomo e Dias Vazios, de Robney Bruno Almeida.

Confira a programação deste domingo, 03 de junho de 2018:

MOSTRA KÁTIA MESEL: 50 ANOS DE AUDIOVISUAL

Hora: 14:00 h Local: Cine São Luiz

Acesso: Gratuito

  • Oh de Casa (PE), Direção: Kátia Mesel, 10’
  • Sulanca (PE), Direção: Kátia Mesel, 11’
  • Recife de Dentro pra Fora (PE), Direção: Kátia Mesel, 15’
  • Fora do Eixo (PE), Direção: Kátia Mesel, 8’
  • Trailer Rochedo (PE), Direção: Kátia Mesel, 4’
  • A Gira (PE), Direção: Kátia Mesel, 16’
  • O Mago das Artes (PE), Direção: Kátia Mesel, 23’
  • Casa Comigo? (PE), Direção: Kátia Mesel, 6’

SEMINÁRIOS

Hora: 14:00 h Local: Hotel Nobile Suites Executive – Boa Viagem

Acesso: Inscrição prévia e gratuita no portal Sympla

Workshop de Ilustração Digital aplicada ao Ambiente Cinematográfico

Ministrado: Prof. Erick Frantto

MOSTRAS DE FILMES DO CINE PE 2018

Hora: 19:30 h Local: Cine São Luiz

Acesso: Gratuito com retirada antecipada de ingresso

LANÇAMENTO LIVRO: HISTÓRIAS DO CINEMA DE ANIMAÇÃO EM PERNAMBUCO

Autor: Marcos Buccini

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

(MOSTRA PE)

  • Deep Dive (PE), Ficção, Direção: Pedro Arruda, 3’
  • Frequências (PE), Documento, Direção: Adalberto Oliveira, 19’

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

(MOSTRA CURTA BRASIL)

  • Insone (SP), Animação, Direção: Breno Guerreiro e Débora Pinto, 2’
  • Universo Preto Paralelo (SP), Documentário, Direção: Rubens Passaro, 12’
  • Peripatético (SP), Ficção, Direção: Jessica Queiroz, 15’
  • Lençol de Inverno (RJ), Ficção, Direção: Bruno Rubim, 24’
  • Não falo com estranhos (BA), Ficção, Direção: Klaus Hastenreiter, 17’

INTERVALO

Homenagem Box Brasil

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS

  • Henfil (RJ), Documentário, Direção: Angela Zoé, 74

Distribuído pela Paramount Pictures, filme estreia nos cinemas dia 26 de julho. (📷 Paramount Pictures / Divulgação)

Todo mundo sabe que Tom Cruise é aquele ator completo, que gosta de se aventurar em cena e dispensar dublês. De fato, Cruise não mede esforços para alcançar o resultado desejado. Em Missão: Impossível – Efeito Fallout, dirigido por Christopher McQuarrie, não foi diferente. Cruise precisou saltar mais de cem vezes para concluir uma cena de salto em queda livre. Em vídeo, a equipe do filme conta tudo o que foi preciso fazer para a cena sair perfeita.

“Tom é o primeiro ator a fazer um salto desses em frente às câmeras”, diz o coordenador de dublês Wade Eastwood. “E o público sabe dizer quando é algo armado, por isso é importante fazer tudo de verdade”, completa. “Tivemos que desenvolver um capacete especial que é tanto um propulsor, quanto um dispositivo salva-vidas”, explica o diretor. “A primeira fase da sequência do salto em queda livre foi a construção de uma máquina de vento que era grande o suficiente para ensaiarmos. Ninguém pensou que precisaríamos fazer mais de cem saltos para conseguir a cena”, confessa McQuarrie.

Distribuído pela Paramount Pictures, o sexto filme da franquia estreia nos cinemas dia 26 de julho. O longa traz Ethan Hunt (Tom Cruise) e sua equipe do IMF (Alec Baldwin, Simon Pegg, Ving Rhames), na companhia de aliados conhecidos (Rebecca Ferguson e Michelle Monaghan), correndo contra o tempo depois que uma missão dá errado.

Além de Cruise, Pegg e Rhames, o elenco ganha um reforço de peso: Henry Cavill, Angela Basset e Vanessa Kirby se juntam ao time. Cruise também é produtor do filme, ao lado de Jake Myers, J.J. Abrams e do próprio diretor McQuarrie, que ainda assina o roteiro e a direção de produção.

Assista ao featurette:

Rodrigo Santoro respondeu perguntas sobre os bastidores de alguns filmes. (📷 Rodrigo Souto Maior / Divulgação)

RECIFE – Assim que aterrissou em Recife, Rodrigo Santoro participou de uma coletiva de imprensa, organizada pela produção do Cine PE – Festival Audiovisual, marcada para às 17h30, no Nobile Suítes Executive, em Boa Viagem, na zona sul do Recife, na tarde deste sábado (02/06). Um dos homenageados da 22ª edição do evento, Santoro esteve pela primeira vez no festival em 2001, ano em que foi agraciado com o prêmio de “Melhor Ator” por sua performance no elogiado Bicho de Sete Cabeças, de Laís Bodanzky. Em 2007, o astro retornou ao Cine PE, dessa vez representando o drama brasileiro Não Por Acaso, escrito e dirigido por Philippe Barcinski. Desta vez, Santoro desembarcou no Recife para receber a honraria máxima do festival, o “Troféu Calunga de Ouro”, prêmio comemorativo de sua carreira no cinema.


Bastante calmo, com voz mansa, e estudando cada palavra que sairá da sua boca, Rodrigo participou do debate com jornalistas, fãs e produtores do audiovisual durante cerca de uma hora. A conversa girou em torno de sua carreira, novos projetos e bastidores das filmagens em Hollywood. Lembrado de quando pediu afastamento da novela Mulheres Apaixonadas, de Manoel Carlos, para se lançar na carreira internacional, após três sucessos consecutivos no cinema – o próprio Bicho de Sete Cabeças, Abril Despedaçado, de Walter Salles, e Carandiru, de Hector Babenco -, Rodrigo explicou que tudo foi uma questão circunstancial. “Em nenhum momento foi uma decisão pensada porque eu queria fazer sucesso no exterior. Eu não saí com uma mochila nas costas dizendo ‘Vou para Hollywood’, até mesmo porque eu estava em um momento realmente fértil da minha carreira aqui. Não me faltava nada para eu ter que buscar fora, as coisas aconteceram e me levaram até ali”, esclareceu em resposta a pergunta de uma jornalista.


Em outro momento de destaque do bate-papo, Santoro contou sobre os bastidores de um filme que descreveu como um dos trabalhos mais difíceis de seu currículo, o americano 300,de Zack Snyder. “Eu chegava no set e éramos eu, o diretor, a equipe de filmagem e produção, e um estúdio cheio de paredes verdes (Chroma Key). Eu contracenava com uma fita crepe no chão, ou, sei lá, com a sandália de alguém. Tudo o que vocês viram no cinema foi montado na pós-produção. Se tinha uma cena em que o Xerxes (vilão do filme) estava falando com outro personagem, tinha um ponto no meu ouvido, com alguém lendo o texto do outro ator, e eu precisava fingir que ele estava ali”, lembrou.


Após a conversa, Rodrigo Rodrigo Santoro participou de uma sessão de fotos com a imprensa e fãs. O astro fez questão de chegar ao Cinema São Luiz, onde estão acontecendo as mostras de curtas e longas-metragens, antes do início da programação. Em seu discurso de agradecimento pela homenagem, o ator começou parabenizando os curtas exibidos durante a noite: “Como é bom assistir curta-metragem”.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs