Tag: Adaptação

Para um experiência ainda mais incrível, os fãs poderão optar pelas salas UCI IMAX, UCI XPLUS ou UCI 4DX. (📷 Marvel Studios / Divulgação)

Homem-Formiga e a Vespa chega na UCI no dia 5 de julho e a pré-venda de ingressos para todos os cinemas da rede já está aberta. Os fãs dos heróis da Marvel já podem se preparar: na véspera do lançamento, na madrugada do dia 4, haverá sessões exclusivas nas salas de todo o país, incluindo as especiais.

O filme será o destaque da semana do programa de relacionamento da rede, o UCI UNIQUE, e os clientes podem garantir seus ingressos com desconto exclusivo.

Para quem não quer perder nenhum detalhe das aventuras da dupla de super-heróis contra a vilã Fantasma, a dica é assistir ao filme com toda a tecnologia das salas especiais – que proporcionam experiências incomparáveis:

Na IMAX (no Rio de Janeiro, São Paulo, Ribeirão Preto, Recife e Fortaleza), as telas são quatro vezes maiores do que as de projeção digital comum e geram imagens com muito mais brilho, nitidez e profundidade. Áudios superpotentes alinhados a laser, que são distribuídos por todo o ambiente através de 24 canais com 18.000 watts de potência. A tecnologia dos alto-falantes permite identificar a localização específica de cada ruído, possibilitando sensações indescritíveis.

As salas XPLUS (Salvador, Manaus, Curitiba, Fortaleza, São Luís, Canoas, Rio de Janeiro, Recife e São Paulo), têm outro diferencial. Além das telas gigantes, com exibição em 3D, a tecnologia Dolby Atmos utiliza canais de áudio com até 128 deslocamentos simultâneos de objetos sonoros, proporcionando uma riqueza de detalhes e profundidade impressionantes, que criam a ilusão de um campo de som infinito ao redor do espectador. As caixas acústicas ficam localizadas inclusive no teto, para preencher a sala com o retrato sonoro mais preciso do filme, exatamente da maneira como o diretor o imaginou.

No Rio de Janeiro (UCI New York City Center) e no Recife (UCI Kinoplex shopping Tacaruna) a rede conta com as únicas salas XPLUS Laser do país, que torna ainda mais surpreendente a qualidade das imagens. A diferença de se assistir a um filme projetado a laser é enorme, com cores mais vibrantes, contraste mais profundo e brilho muito mais intenso. A tecnologia inovadora oferece a melhor qualidade de imagem e desempenho de cores disponíveis atualmente.

As salas 4DX (Rio de Janeiro e São Paulo) têm cadeiras que vibram e se movimentam, além de 20 efeitos especiais. Durante as exibições, dependendo das cenas, o espectador é impactado por diversas sensações e aromas. No UCI NYCC, no Rio, o público poderá perceber chuva, vendaval, neblina, trovão, bolhas d´água, luzes e tempestade (rainstorm), que combina ventos fortes com gotas de chuva e cria redemoinhos de água em cima do público. Mas, quem preferir sair seco da sessão, poderá desligar o botão “water”. Já no UCI Anália Franco, a sala especial conta ainda com o exclusivo efeito neve – o único no país.

Assista ao trailer: 

A diretora Patty Jenkins e a estrela Gal Gadot unem-se novamente para o retorno da Super-Heroína da DC à tela grande. (📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)

Avançando para os anos 1980, a próxima grande aventura da super-heroína Mulher-Maravilha traz uma nova inimiga: a Mulher-Leopardo. As filmagens da sequência de Mulher-Maravilha, que arrecadou US$ 822 milhões de bilheteria em todo o mundo, já começaram. Intitulado Mulher-Maravilha 1984, o longa-metragem será dirigido novamente pela aclamada diretora Patty Jenkins, com a estrela Gal Gadot no papel principal. A Warner Bros. Pictures também divulga as primeiras imagens do longa, que mostram a atriz e o retorno de um importante personagem: Steve Trevor, interpretado por Chris Pine.

O filme também é estrelado por Kristen Wiig no papel da super-vilã Mulher-Leopardo e Pedro Pascal.

Charles Roven, Deborah Snyder, Zack Snyder, Patty Jenkins, Stephen Jones e Gal Gadot produzem o filme. Rebecca Roven Oakley, Richard Suckle, Wesley Coller, Geoff Johns e Walter Hamada são os produtores executivos.

A produção será filmada em Washington, D.C. e Alexandria (Virgínia), nos EUA, e também em locações no Reino Unido, Espanha e Ilhas Canárias.

Com lançamento previsto para os cinemas brasileiros em 31 de outubro de 2019, Mulher-Maravilha 1984 é baseado na personagem criada por William Moulton Marston, aparecendo nos quadrinhos publicados pela DC Entertainment. O filme será distribuído mundialmente pela Warner Bros. Pictures.

Confira as imagens: 

(📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)
(📷 Warner Bros. Pictures / Divulgação)

“Não se Aceitam Devoluções”, nova comédia estrelada por Leandro Hassum, é uma adaptação de filme mexicano de sucesso. (📷 Fox Film do Brasil / Divulgação)

Em 2013 foi lançado o filme mexicano Não Aceitamos Devoluções. Dirigido e protagonizado por Eugenio Derbez, o longa-metragem teve um orçamento de 5 milhões de dólares e rapidamente se tornou um grande sucesso comercial. A boa campanha abriu as portas para que o filme obtivesse destaque e notoriedade em outros países, o que resultou em um faturamento global de pouco mais de US$ 100 milhões.

A história singela, de cunho familiar e enfoque no amor entre pai e filha, conquistou admiradores em todos os lugares e isso serviu para catapultar o filme ao posto de maior bilheteria da história do México à época.

É adaptado deste projeto de sucesso, que está entra em cartaz na quinta-feira, dia 31 de Maio o nacional Não se Aceitam Devoluções, distribuído pela Fox Film do Brasil.

Como protagonista da versão brasileira, na pele do personagem Juca Valente, está o ator Leandro Hassum (Até Que a Sorte nos Separe). Também participam do projeto o ator Jarbas Homem de Mello (O Duelo), a atriz cubana Laura Ramos (Viva Sapato!), e a revelação Manuela Kfouri, como a garota Emma, filha do protagonista.

Dirigido pelo cineasta André Moraes (Entrando Numa Roubada), o filme conta a história de Juca Valente (Hassum). Mulherengo incorrigível, que só quer saber de aproveitar a vida, Juca um dia se depara com uma de suas ex-namoradas, a americana Brenda (Laura Ramos), que bate à sua porta com a filha a tiracolo, dizendo que ele é o pai da garota. Apavorado com a ideia de ter que cuidar de uma criança, Juca viaja até os EUA atrás de Brenda e aos poucos vai descobrindo uma afeição cada vez maior pela menina.

(📷 Fox Film do Brasil / Divulgação)

É uma tarefa muito difícil não associar este filme ao original (ao menos  para quem assistiu), e isso pode ser uma característica positiva ou negativa, dependendo do ponto de vista.

Antes de mais nada, precisa-se dizer que o roteiro foi muito bem adaptado, e é bastante fiel ao filme mexicano. Percebe-se que houve um cuidado e uma dedicação em manter a história intacta, e por ser uma adaptação, isso é bom.

O “trânsito” da história entre as cidades do Rio, Los Angeles e Nova York propicia o uso de uma fotografia em tons dourados, propositalmente pensada para dar um ar “californiano” às cenas. Ainda dentro do contexto destas ambientações diversificadas, percebe-se que isso em alguns momentos atrapalha um pouco o andamento do filme, já que o excesso de “vai e vem”, somado à diálogos em português e inglês, e o uso de algumas liberdades artísticas, acabam confundindo em certas cenas.

Leandro Hassum é o fanfarrão de sempre, e projeta o humor característico em seu personagem, o que resulta em uma interpretação batida, mas com alguns momentos de destaque realmente cômico. Uma faceta que o ator explora mais neste papel, já que há essa liberdade no roteiro, é o drama e prova que pode fazer um trabalho “ok” em cenas que exigem intensidade emocional. Laura Ramos chama mais a atenção por sua beleza elegante, e na interpretação de Brenda, faz um trabalho morno. O destaque ficou com Manuela Kfouri, atriz revelação que dá vida à Emma, a filha de Brenda. Divertida e totalmente à vontade, a garota rouba a cena.

Com uma notável variação que vai da comédia ao drama no desenrolar da história, Não se Aceitam Devoluções tem o potencial dramático subestimado ao exagerar nas cenas tristes com chororôs excessivos e apelativos, que incomodam um pouco ao invés de emocionar. Apesar disso, tem bons momentos.

No geral, o filme é sim um programa famíliar para se curtir no cinema, e deve usar isso como trunfo, já que em questão de qualidade não sai da zona de conforto das produções cômicas brasileiras, o que é uma pena.

Assista ao trailer:

Deadpool está de volta! (📷 20th Century Fox / Divulgação) 

Em Deadpool 2, que estreia nesta quinta-feira, 17 de maio, em circuito nacional, dois dos (sendo um, pouco anti) heróis volta com o seu super poder mais aguçado: o deboche. Com piadas geniais e seu senso auto-crítico, o primeiro ato da sequencia falha um pouco na apresentação dos novos personagens, exceto pela maravilhosa Zazie Beetz (Dominó), é difícil criar um vinculo logo de cara, e isso atrapalha um pouco o ritmo do filme.

Ryan Reynolds continua sendo uns dos maiores acertos da produção, a acidez e carisma que seu personagem carrega, conquista fácil o espectador. Não pode-se dizer o mesmo do vilão Cable, interpretado por Josh Brolin (Thanos, de Vingadores: Guerra Infinita), ele não é lá um dos mais originais.  E o argumento pra sua existência é bem parecido com o Exterminador do Futuro tudo o que já se viu por ai.

Mas é claro que o próprio filme não deixa de debochar disso, e de forma consciente deixa claro mais de uma vez que-isso-que-você-está-assistindo-não-é-pra-levar-tão-a-sério-assim.  A prova é que boa parte do segundo ato só serve para fazer uma grande piada. Já o terceiro é um pouco mais longo do que devia, daria pra tirar, pelo menos, 20 minutos do longa-metragem  

Na parte técnica é bem válido elogiar a trilha sonora com composições de Celine Dion, A-HA e AC/DC estão inclusos e sincroniza bem com todos os momentos. Há muitos filmes que colocam musicas clássicas em cenas de forma bem forçada (como o caso de Atômica), isso passa longe de acontecer aqui, o público sairá da exibição querendo baixar todas no Spotify.

O CGI também é muito bom, e algo que vale a pena destacar, por que faz a platéia esquecer totalmente daquele fiasco que foi a apresentação do primeiro Deadpool, na época de Wolverine Origins.

Em suma Deadpool 2, é uma sequência pouco ousada, com um roteiro bem convencional, mas que cumpre com excelência sua principal função: entreter e divertir.  Continua tão bom, quanto o primeiro filme, exceto pela parte que a musa Morena Baccarin, aparece bem menos no novo filme.

Uma dica, ainda não dá pra assistir com a mãe do lado. Outra dica, não saia antes dos créditos finais. A sala de cinema inteira aplaudiu a cena.

Assista ao trailer: 

A produção protagonizada por Amy Adams estreia dia 8 de julho, às 22h, no canal HBO. (📷 HBO / Divulgação) 

Sharps Objects, nova minissérie dramática da HBO, composta por oito episódios, estreia dia 8 de julho, às 22h, no canal HBO e na plataforma HBO GO. Todo domingo um episódio inédito vai ao ar.

Baseada no best-seller de Gillian Flynn Objetos Cortantes, a trama é protagonizada por Amy Adams (também produtora executiva), que interpreta Camille Preaker, uma repórter que volta à sua cidade natal para fazer a cobertura jornalística do assassinato de duas pré-adolescentes. Enquanto tenta montar um quebra-cabeça psicológico sobre seu próprio passado, Camille acaba se identificando com as jovens vítimas.

Além de Adams, o elenco conta com Patricia Clarkson, Chris Messina, Eliza Scanlen, Elizabeth Perkins, Matt Craven, Henry Czerny, Taylor John Smith, Sophia Lillis e Madison Davenport.

Jean-Marc Vallée é o diretor de todos os episódios e coeditor da série. O showrunner, Marti Noxon, também é roteirista de alguns episódios, junto com Gillian Flynn. Os produtores executivos são Jason Blum, Charles Layton, Jessica Rhoades, Amy Adams, Gillian Flynn, Marti Noxon, Jean-Marc Vallée, Nathan Ross e Gregg Fienberg.

Assista ao teaser:

Crítica | Deadpool 2

Deadpool foi um grande tiro no escuro na época de seu lançamento. Sua estruturação e produção duraram vários anos, o filme vinha sendo barrado por questões sobre o tom, faixa etária e até onde se poderia ir em um filme de ‘’super-herói’’. Então, após um sinal verde, em 2016 finalmente o filme foi lançado, tendo Ryan Reynolds (Dupla Explosiva) na pele do Mercenário Tagarela. O filme quebrou barreiras misturando cenas de ação super pesadas, piadas sujas e um linguajar definitivamente impróprio para menores e acabou arrecadando uma bilheteria muito acima de seu curto orçamento. Agora, dois anos depois, o espectador tem a oportunidade de conferir Deadpool 2, que estreia em circuito nacional, nesta quinta-feira,  dia 17 de maio, distribuído pela 20th Century Fox!

Após um incidente que o desestabiliza, Deadpool precisa enfrentar Cable (Josh Brolin, de Vingadores: Guerra Infinita) um soldado que vem do futuro para uma missão assassina. Impedir Cable, começa a colocar Deadpool em uma posição que o faz pensar sobre o que é ser um herói e como suas atitudes podem transformar ele em um ou não. Para vencer o soldado, o mercenário precisa recrutar uma equipe um tanto quanto inusitada.

Deadpool 2 acerta muito em puxar as cordas do primeiro longa, usando ganchos deixados, frases ditas e amarrando os dois filmes, trazendo algo que tem sido um pouco difícil de se ver em sequências de filmes de herói: um desenvolvimento real de seu protagonista.

📷 20th Century FOX / Divulgação 

Ambientado de forma mais confiante seu protagonista no universo dos X-Men, o filme é uma caixinha de surpresas, expandindo os personagens secundários e dando forma a uma equipe muito diferente da qual o público está acostumado a ver em ação. Recheado de referências maravilhosas e surpresas que farão os fãs entrarem em êxtase, Deadpool retorna em sua melhor forma, apoiado por uma trilha sonora sensacional.

Ryan Reynolds novamente brilha como Wade Wilson, e seus momentos falando com o espectador continuam sendo seus melhores e apoiado por um elenco secundário muito bom, consegue trazer todas as camadas do personagem, seus conflitos, sua irresponsabilidade e suas ações que sempre levantam a mesma questão: “isso me torna um herói ou apenas alguém bagunçando tudo?“.

Aproveitando da melhor forma possível a oportunidade que foi conseguida com tanta dificuldade e trazendo um filme muito melhor que seu antecessor Deadpool 2 vem com a irreverência já conhecida, as piadas sujas, os palavrões e as cenas que, as vezes, são difíceis de acreditar que foram filmadas.

Deadpool 2 vem quebrando tudo, totalmente seguro de si e de seu público e conquistando um lugar merecido entre as melhores adaptações de quadrinhos dos últimos tempos.

Assista ao trailer:

Andrea Berloff dirige o drama sobre uma máfia liderada por mulheres e estrelado por Melissa McCarthy, Tiffany Haddish e Elisabeth Moss. (Vertigo Comics / Divulgação )

A Warner Bros. Pictures divulgou nest terça-feira, dia 15 de maio, que as filmagens de The Kitchen (ainda sem título em português), começaram na última semana. Produzido pela New Line Cinema, o longa-metragem é baseado na série de quadrinhos publicadas pelo selo Vertigo, da DC Entertainment.

Andrea Berloff, indicada ao Oscar de Roteiro Original por Straight Outta Compton: A História do N.W.A., é a autora do roteiro e dirige a produção.

Estrelam o longa a indicada ao Oscar Melissa McCarthy (Missão Madrinha de Casamento), Tiffany Haddish (Viagem das Garotas) e Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale), que interpretam três donas de casa do bairro de Hell’s Kitchen, Nova York, em 1978, cujos maridos mafiosos são mandados para a prisão pelo FBI. Deixadas quase sem nada, elas tomam para si as questões da máfia irlandesa – provando, inesperadamente, estarem prontas para tudo, desde gerenciar os negócios ilegais até eliminar a concorrência… literalmente.

As filmagens acontecem principalmente no famoso bairro Hell’s Kitchen, em Nova York.. The Kitchen tem previsão de estreia para setembro de 2019 e será distribuído internacionalmente pela Warner Bros. Pictures.

Musical, que conta com participação especial de Cher, chega aos cinemas brasileiros em 2 de agosto. (📷 Universal Pictures / Divulgação) 

Muito mais música e alto astral! A Universal Pictures acaba de divulgar o novo trailer da produção Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo” (Mamma Mia: Here We Go Again!).        

Sequência do sucesso de 2008 que arrecadou mais de US$ 600 milhões em todo o mundo, Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo leva o espectador de volta para a mágica ilha grega de Kalokairi em um novíssimo e original musical baseado nas canções do grupo sueco ABBA

Com elenco estrelado por Meryl Streep, Amanda Seyfried, Lilly James, Stellan Skarsgard, Pierce Brosnan, Colin Firth, Dominic Cooper e participação de Cher, o filme é produzido por Judy Craymer e Gary Goetzman e conta com direção de Ol Parker. A estreia está prevista para 2 de agosto.

Assista ao trailer: 

A mais nova aventura do herói – em versão anime – já pode ser conferida no seu device favorito. (📷 Warner Home Entertainment / Divulgação)

O Japão feudal corre perigo e apenas um herói será capaz de salvá-lo! Batman Ninja, a mais nova animação da Warner Home Entertainment, já está disponível para aluguel e compra nas principais plataformas digitais.

Em uma aventura totalmente nova, o homem morcego – junto a seus aliados e seus piores inimigos – são transportados para o Japão feudal graças à máquina do tempo de Gorilla Grood. Lá, o Coringa está liderando diversas facções que estão em guerra na disputa por terras. Sem seus apetrechos tecnológicos e armas avançadas, Batman vai precisar da ajuda de seus amigos e de toda sua inteligência e habilidade na luta para salvar o Japão e voltar à Gotham dos dias atuais.

Disponibilidade:

Aluguel DIGITAL: NOW, SKY Play, VIVO Play, iTunes, Looke e SmartVOD;

Compra DIGITAL : iTunes, Google Play, Microsoft Store, Playstation Store e Looke;

Preços: Compra DIGITAL (R$ 29,90), Aluguel DIGITAL (R$ 14,90).

Conteúdos extras da Compra Digital em clientes exclusivos:
(Looke, iTunes, Google, Sony, Microsoft)

Batman do Ocidente/OrienteO herói vai de encontro ao mundo do anime. Este mini doc. examina alguns dos arquétipos ocidentais mesclados com o mundo do Japão feudal.

Batman: made in Japan Fazer um filme especial sobre o Batman requer o artista certo para trazer a mistura de estilo e energia presente nos animes. Os cineastas discutem os modelos de personagens japoneses, influências e como foi criar esta fusão de mundos.

New York Comic Con apresenta: Batman Ninja Conheça os talentosos cineastas por trás de Batman Ninja enquanto discutem suas inspirações e desafios ao trazer uma versão de anime de Batman à vida no painel realizado na edição de 2017 do evento.

Assista ao trailer: 

#BatmanNinja @WarnerHomeBr

A primeira versão cinematográfica da série de TV da DC Entertainment, Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas ganhou nova arte e trailer. No vídeo, Robin, Mutano, Ciborgue, Estelar e Ravena continuam sua busca por um filme próprio e enfrentam o arqui-inimigo Slade Wilson. Ainda aparecem os personagens Superman, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha e até o mordomo Alfred de Batman.

Confira a arte: 

Assista ao trailer:

📷 Sony Pictures / Divulgação

Novo lançamento da Sony Pictures, “Paulo, Apóstolo de Cristo” se baseia na história do apóstolo que ao longo de sua trajetória passou de perseguidor a perseguido. (📷 Sony Pictures / Divulgação) 

O cristianismo sempre inspirou a indústria do cinema. As mais diversas figuras bíblicas já tiveram suas histórias contadas, seja em abordagens tradicionais ou até mesmo em algumas não convencionais (caso de Noé de Darren Aronofsky).

Desta vez, o foco cai sobre a história de Paulo, um dos apóstolos de Jesus Cristo, no novo filme da Sony Pictures que estreia nesta quinta-feira, dia 03 de maio, em circuito nacional.

Com direção do quase desconhecido do grande público Andrew Hyatt (Cheia de Graça), o longa-metragem tem em seu elenco principal os atores Jim Caviezel (A Paixão de Cristo), e James Faulkner (Atômica).

O filme se passa durante o reinado de terror do imperador romano Nero. No auge de sua loucura, Nero promove sangrentas batalhas em arenas, ateia fogo em metade da cidade, e persegue ferozmente os seguidores de Cristo, dentre os quais está Paulo (Faulkner), líder de sua comunidade, e feito prisioneiro, acusado de conspiração e traição.

Fugindo dos soldados romanos e escondidos no meio da cidade, os cristãos mandam ao encontro de Paulo seu companheiro, o também apóstolo Lucas (Caviezel), enquanto precisam decidir entre ficar em Roma ou partir. Divididos e confusos, eles precisam de respostas, e esperam encontrá-las junto à Paulo, através de Lucas.

📷 Sony Pictures / Divulgação

Com a ajuda de um facilitador infiltrado na guarda romana, Lucas consegue acesso à Paulo no cárcere, e entre conversas e impressões, Lucas começa a documentar as “memórias” de Paulo, que dentre outras coisas, explicam como ele passou de carrasco, que caçava e punia os seguidores de Cristo, a pregador e entusiasta do mesmo Cristo, após um fato atribuído por Paulo como um milagre, em meio ao deserto. Tais impressões e memórias fariam parte mais tarde do livro Atos dos Apóstolos, um dos mais importantes da Bíblia Sagrada.

As memórias de Paulo são descritas através de flashbacks, que esclarecem de forma didática a transformação do apóstolo. Também é de grande valia a dramaticidade imposta na interpretação de James Faulkner, como Paulo. O ator impõe pesar e sofrimento através de suas expressões, o que resulta em uma competente composição do personagem. Enquanto isso, Jim Caviezel  apresenta uma atuação consistente e linear, e em alguns momentos fica impossível não lembrar de seu papel em “A Paixão de Cristo”, onde interpretou o próprio Jesus, no polêmico e comentado filme dirigido por Mel Gibson em 2004.

Correndo em paralelo, há o drama vivido pelo prefeito romano “Maurício” (Olivier Martinez), que vê sua filha definhar devido a uma doença misteriosa, que não dá trégua mesmo com todos os sacrifícios realizados por ele e sua esposa aos deuses antigos. 

O desenvolvimento de Paulo, Apóstolo de Cristo se alterna entre diálogos explicativos e belas cenas contemplativas, evidenciadas através do slow motion, aliado a closes de câmera e trilha sonora marcante, que dá a intensidade necessária ao tom do filme.

📷 Sony Pictures / Divulgação

Mesmo com alguns pontos positivos, a direção de Hyatt não convence muito, e com uma qualidade técnica esforçada, somada a um roteiro simples e uma direção inconstante, o que sobra de tudo isso é uma acalentadora mensagem de resiliência e altruísmo, que parece querer se esquivar do clichê, mesmo que seja utilizando a velha metáfora do triunfo do bem sobre o mal.

Evidenciando a questão da perseguição religiosa, o longa tenta impor contemporaneidade, e despertar reflexão ao delicado assunto, através de uma mensagem no final da exibição.

Num apanhado geral, Paulo, Apóstolo de Cristo vale como mensagem positiva que faz pensar, mas tecnicamente não apresenta elementos que possam fazer com que seja considerado algo fora do comum.

Assista ao trailer:

A Netflix divulgou nesta segunda-feira, dia 30 de abril, que segunda temporada de 13 Reasons Why estreia no dia 18 de maio. A nova temporada 13 Reasons Why retrata as consequências da morte de Hannah e a difícil jornada dos personagens rumo à recuperação. A escola Liberty se prepara para ir a julgamento, mas alguém quer impedir a todo custo que a verdade sobre a morte de Hannah venha à tona. Fotos ameaçadoras levam Clay e seus colegas à descoberta de um segredo terrível – e uma conspiração para encobri-lo.

Recursos para a segunda temporada

Em preparação para o lançamento da segunda temporada, novos recursos serão adicionados ao site 13ReasonsWhy.info, incluindo um Guia de Discussão atualizado e uma nova Série de Discussões – um conjunto de vídeos no qual  o elenco aborda diversas questões, incluindo bullying, assédio sexual e abuso de drogas. Você leitor, pode e deve conhecer essas ferramentas no 13ReasonsWhy.info, caso precisem de ajuda ou apoio. No Brasil, o leitor que precisar, ainda pode contar com os serviços gratuitos do Centro de Valorização da Vida (CVV), que disponibiliza seus atendimentos na internet, no telefone ou pessoalmente. Acesse: www.cvv.org.br.

Assista ao vídeo:

Para maiores informações, acesse o link netflix.com/13reasonswhy e Facebook.com/13ReasonsWhyBR/.

A Fox Film do Brasil acaba de anunciar que Morena Baccarin, a Vanessa Carlysle de Deadpool 2, vem ao Brasil para divulgar o novo longa-metragem do Estúdio. A namorada do tagarela mais amado das telonas já está com suas atividades programadas para os dias 06 e 07 de maio, em São Paulo. A atriz participará de eventos exclusivos para exibidores e imprensa durante sua visita. Brasileira, nascida no Rio de Janeiro, Morena foi para os Estados Unidos com sete anos e hoje é uma das brasileiras mais conhecidas de Hollywood. Deadpool 2estreia nos cinemas em todo o Brasil em 17 de maio.

Assista ao trailer: 

A Warner Bros. Pictures divulga o novo trailer de PéPequeno, uma aventura de animação para todas as idades. O vídeo mostra o iéti Migo contando para seus amigos como foi seu assustador encontro com o “monstro” PéPequeno. Uma nova arte também foi divulgada. Com direção de Karey Kirkpatrick, a animação tem estreia prevista para 28 de setembro de 2018.

Confira o pôster nacional:

Assista ao trailer: 

A frase “fazer história no cinema” pode ser interpretada de inúmeras maneiras. O filme pode ser muito ruim e ainda assim ser lembrado, ter uma bilheteria gigante mas não ser tão convincente, ou ainda ser muito premiado e não atingir o grande público.


Existe ainda, uma outra fórmula secreta de fazer história e esta somente a Disney/Marvel Studios possui e começou a ser moldada há exatos 10 anos, quando em 2008 estreava o primeiro longa metragem dessa empreitada: Homem de Ferro. Neste período muitas aventuras foram produzidas em 18 filmes, que culminaram em um universo fantástico compartilhado, que agora desembarca em Vingadores: Guerra Infinita, filme que estreia nesta quinta-feira, 26 de abril, em circuito nacional. 


Nesta jornada Os Vingadores e os super-heróis aliados precisam estar dispostos a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poderoso Thanos, antes que ele coloque as mãos nas “Joias do Infinito” e sua onda de devastação e ruína coloque um fim em metade do universo.

📷 Marvel Studios / Divulgação


A direção é dos irmãos Anthony e Joe Russo, responsáveis pelos excelentes Capitão América: Soldado Invernal e Capitão América: Guerra Civil. E a tarefa deles aqui era muito difícil, afinal, como inserir em um filme inúmeros personagens, situações, enfrentamentos destes 18 longas-metragens? Tinha tudo para ser uma grande bagunça jogada na tela e felizmente não é.

O maior acerto está no roteiro, pois ele situa o espectador em núcleos já que, desta vez, a aventura se passa na Terra e em muitos outros lugares do Universo, ficando mais compreensível e didático (não entenda ruim). Existe o núcleo do Thor e os Guardiões da Galáxia, Homem de Ferro, Homem AranhaDoutor Estranho, Capitão América e Pantera Negra, para falar de maneira bem sintética. Parecem histórias isoladas, porém de maneira alguma o público fica perdido ou sente falta de algo. Todos tem importância, alguns muito mais no decorrer dos acontecimentos. Provavelmente o núcleo mais monótono, entretanto extremamente necessário, é do Visão com a Feiticeira Escarlate.


A maneira como a narrativa segue lembrou em alguns momentos a trilogia O Senhor dos Anéis (calma, não é uma comparação dos filmes), no qual haviam muitas histórias acontecendo em vários lugares, no mesmo momento.
Tecnicamente o padrão permanece elevado, com efeitos visuais deslumbrantes com destaque para as batalhas em Wakanda, com tomadas aéreas abrangendo uma quantidade enorme de personagens, dando uma sensação de grandiosidade jamais vista em filmes da franquia, e a batalha em Titã, que possui um ar pesado e a tonalidade pastel dando um aspecto de urgência.


A marca mais do que registrada dos filmes da Marvel é o humor e claro que ele não ficaria de fora na nova produção. Quase todas as tiradas cômicas funcionam principalmente as protagonizadas pelo Homem Aranha e Thor em alguns momentos o perigo iminente não deveria abrir brechas para risos mas os roteiristas não aguentaram. É verdade que quase simultaneamente é possível sorrir e ficar tenso, coisa que raramente aconteceu em filmes passados, separando cada momento. 

📷 Marvel Studios / Divulgação


E se muitas pessoas reclamavam dos vilões, chegou a hora de conhecer o poderoso Thanos (Josh Brolin). Ele vem do planeta Titã disseminando qualquer civilização à sua frente para dominar o universo. Parece clichê, porém a motivação dele faz sentido, ainda mais depois de alguns flashbacks. Desta vez, existe um medo real potencializado pela voz grave, o vigor físico e as ameaças que realmente se tornam palpáveis. É um vilão com camadas, ora brutais, ora sentimentais (os fãs já provaram desse gosto com Killmonger no filme Pantera Negra). Vale ressaltar o belíssimo trabalho na concepção gráfica de Thanos, minuciosamente detalhada.

📷 Marvel Studios / Divulgação


E a explicação para a aparição da “Joia da Alma” é isoladamente especial (sem mais explicações, para não dar spoiler).


Vingadores: Guerra Infinita é um marco na cultura pop, afinal encerrará um ciclo importante da Marvel Studios para outro surgir. Muito corajoso em relação aos personagens, brilhantemente bem executado, engraçado e dramático ao mesmo tempo, com um final espetacular jamais visto em nenhum dos outros 18 filmes, deixando o campo aberto para Vingadores 4, marcada para estrear em 02 de maio de 2019.


Uma dica importante: O que resta depois das letras subirem? Uma cena pós-créditos muito relevante e a ansiedade para assistir a continuação. Aliás, já começou a pré-venda para 2019?

Muito suspense e mistério no clássico de Agatha Christie! (📷 20th Century FOX / Divulgação)

Um luxuoso trem de viagem se torna cenário de um crime. O tempo está correndo: é preciso encontrar o assassino antes que ele ataque novamente! 

O clássico de Agatha Christie ganha vida em Assassinato no Expresso do Oriente, que já está nos formatos físicos – Blu-Ray e DVD. Kenneth Branagh dá vida ao icônico detetive Hercule Poirot e dirige um elenco repleto de estrelas, que conta com nomes como Michelle Pfeiffer, Penélope Cruz, Judi Dench e Johnny Depp. Junte-se a ele, procure por pistas, interrogue todos os suspeitos e veja se consegue solucionar este mistério.

Nesse suspense cheio de estilo e mistério baseado no livro de enorme sucesso de Christie. Todos são suspeitos quando um assassinato ocorre em uma luxuosa viagem de trem, e um detetive brilhante deve correr contra o tempo para resolver o mistério antes que o assassino ataque novamente.

Disponibilidade: Lojas Americanas, Saraiva, Livraria Cultura, FNAC, entre outros. 

Preços: Blu-Ray (R$69,90) e DVD (R$39,90).

Extras disponíveis no Blu-Ray:

  • Agatha Christie: Um Retrato Íntimo
  • Vamos Falar Sobre Hercule Poirot
  • Cenas Excluídas
  • Comentário de Kenneth Branagh e Michael Green
  • Suspeitos Improváveis
  • Música para Assassinato
  • Galeria 

Extras disponíveis no DVD:

  • Agatha Christie: Um Retrato Íntimo
  • Vamos Falar Sobre Hercule Poirot
  • Cenas Excluídas
  • Comentário de Kenneth Branagh e Michael Green

Longa-metragem é baseado no quarto livro da saga “Millennium”, escrito por David Lagercrantz após o falecimento do autor original Stieg Larsson e publicado pela Companhia das Letras, no Brasil. (📷 Sony Pictures / Divulgação)

A Sony Pictures divulgou a primeira foto oficial do elenco de A Garota na Teia de Aranha, sua mais nova produção. Sequência da série Millenium, o filme é uma adaptação do best-seller escrito por David Lagercrantz.

Com direção de Fede Álvarez, diretor do sucesso de 2016 O Homem Nas Trevas, e produção de David Fincher, o longa conta com Lisbeth Salander, a aclamada personagem da saga Millenium, criada por Stieg Larsson, além de nomes como Claire Foy (The Crown), Sylvia Hoeks (Blade Runner 2049) e Lakeith Stanfield (Corra!).

O filme tem estreia prevista para o dia 8 de novembro de 2018.

Exclusivo da rede UCI, espetáculo da nova temporada da companhia russa de balé Bolshoi terá exibição no dia 14 de abril. (📷Pathé / Divulgação) 

Romeu e Julieta, do Bolshoi, será exibido em alta definição nos cinemas UCI no dia 14 de abril. O balé é um dos clássicos da temporada 2017-2018 da companhia russa, que ainda vai apresentar Giselle e As Chamas de Paris. As sessões acontecem em abril, maio e junho, sempre em dois sábados por mês às 15h30. Os ingressos já estão à venda e os clientes UNIQUE pagam meia-entrada.

Na mesma semana em que estreia no teatro em Moscou, a nova montagem de Romeu e Julieta chega aos cinemas UCI.  A trágica história de amor escrita por William Shakespeare se passa em Verona, onde a rivalidade entre os Capuletos e os Montecchios é enaltecida quando Romeu e Julieta se apaixonam loucamente em um baile de máscaras e ficam destroçados quando descobrem que pertencem a famílias rivais.

Giselle é a atração de maio, nos dias 05 e 12. Na história, uma camponesa se apaixona por um aldeão, mas ao descobrir que na verdade ele é um nobre, ela literalmente morre de decepção. Sua alma passa a fazer parte das Willis, grupo de garotas que se tornam fantasmas às vésperas do casamento.

Para fechar a temporada, As Chamas de Paris, nos dias 09 e 16 de junho, tem como protagonista o povo francês. O balé conta a história de Philippe, Jeanne e Jerome e o envolvimento dos três na Revolução Francesa, incluindo o assalto das Tulherias pelos marselheses e sua marcha vitoriosa em Paris. O espetáculo é uma adaptação do romance de Felix Gras.

As cidades que exibirão os clássicos são: Curitiba, Ribeirão Preto, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Juiz de Fora, Campo Grande, Salvador, Fortaleza, Belém e Canoas. Os ingressos custam R$ 50 (inteira em salas convencionais) e R$ 60 (inteira em salas DE LUX).

A entradas para os balés da temporada nos cinemas UCI já podem ser adquiridos através do site ucicinemas.com.br. Cliente UNIQUE paga meia-entrada.

Assista ao trailer:

The Handmaid’s Tale foi sem dúvida a série mais marcante do ano passado. Nela, em um futuro não tão distante assim, a humanidade se tornou quase toda estéril, e um golpe de estado transformou os EUA em “Gilead”, um território de governo totalitário e teocrata. As mulheres capazes de engravidar são transformadas em aias, que irão gerar os filhos dos homens poderosos da nação. Nesse contexto, o telespectador é apresentado a Offred (Elisabeth Moss), uma aia que já teve outro nome, uma família, uma filha e através dela o público se lança na vida e rotina de uma Aia e em suas relações com o Comandante (Joseph Fiennes), sua esposa Serena (Yvone Strahavoski) e seu desejo de escapar e achar sua filha e seu marido Luke (O.T. Fagbenle).

Bruce Miller é criador, produtor e roteirista da produção e, nesta quarta-feira, 04 de abril, marcou presença na Rio2C® em um painel sobre a série e na coletiva de imprensa.

Durante o painel, Miller falou sobre o processo de escrita e produção da série, explicando sobre as dificuldades e maravilhas do processo criativo. Se assumiu como fã louco do livro e falou sobre a recepção do público com relação a ele, como homem, ser showrunner da série, sobre a forma que ele se relaciona com a história e contou diversas histórias sobre as gravações e como é trabalhar em The Handmaid’s Tale e em especial ao lado de Elisabeth Moss apelidada de “Lizzie” que ele não poupa elogios, dizendo que a atriz, que também é produtora da série, está presente em todos os momentos da filmagem e edição.

Na entrada do painel havia uma fila de Aias para recepcionar o público

Miller falou sobre as dificuldades de adaptar o livro, e que com a consultoria de Margareth Atwood, autora do livro, ele conseguiu fazer uma ótima transição das páginas para as telas, pensando em como foi impressionante a autora se lembrar de cada detalhe que estava pensando quando escreveu o livro, que foi publicado há trinta e cinco anos.

O produtor é extremamente minucioso em seu trabalho, e apontou diversos detalhes que provavelmente nenhum espectador conseguiu notar na série, como os quadros na casa do Comandante que são réplicas de todos os quadros do Museu de Boston, como as personagens femininas não usam nenhum tipo de maquiagem, e que devido a gravação ser feita em 4k é impossível colocar o mínimo que seja nas atrizes. Falou sobre a criação dos figurinos e como o vestido das aias, que já é uma roupa de gravidez, não sendo necessária uma nova roupa, pois a única função da aia é gerar uma criança para uma família importante.

Falando sobre o tom da série, ele disse que tem inspirações em filmes dos anos 1970, como  O Bebê de Rosemary (Roman Ponlanski) e O Iluminado (Stanley Kubrick), além de tentar mesclar esse tom com o de filmes recentes que falam muito sobre a realidade atual, como Spotlight (Thomas McCarthy).

Sobre a trilha sonora, Miller disse que como a série é contada do ponto de vista de Offred, as músicas da série seriam as músicas que estão tocando na cabeça da personagem. “As vezes, em situações difíceis nossa cabeça se lembra daquela música péssima que combina muito com a situação, e nós tentamos passar isso.”

O painel teve duração de uma hora e meia, e nele o showrunner mostrou vídeos da primeira temporada, explicando o contexto em que as cenas foram mostradas, contando piadas e atentando o público para detalhes em cena, explicando passo a passo sobre as gravações e montagem da primeira temporada. O produtor estava bastante empolgado e compartilhou diversos detalhes sobre o elenco, como Ann Dowd ser “a pessoa mais doce do mundo” apesar de sua personagem, Tia Lydia ser uma das encarnações de diabo, contou também que Serena Joy (Yvone Strahavoski) é fria só em cena, e que na vida real é a “pessoa que tem a boca mais suja” que ele conhece.

O Cinerama falou com Bruce Miller na Coletiva de Imprensa após o painel, e essa conversa deu algumas informações importantes sobre a segunda temporada da série. Quando perguntado sobre a dificuldade de escrever a segunda temporada sem o apoio do livro, Miller respondeu que para ele foi muito mais fácil continuar a história, pois a primeira temporada, usando o livro, lançou as bases para as temporadas seguintes, e que como ele trabalhou com programas totalmente originais, para ele foi muito tranquilo escrever a nova temporada. A reportagem questionou também sobre o desenvolvimento de Offred/June nessa temporada e ele apenas pediu desculpas pelo que vai fazer o público passar.

Bruce disse que o telespectador irá conhecer as Colônias, para onde os degenerados são enviados, que os fãs entenderão melhor a questão da fuga para o Canadá e sobre a situação que os refugiados passam lá. Talvez também se descobrirá o destino de Ofglen (Alexis Bledel) e também haverá flashbacks sobre a estruturação de “Gilead”. Ele promete uma temporada muito difícil de ser assistida “Não por ter mais crueldade, mas por serem muito realistas“.

The Handmaid’s Tale exibe sua primeira temporada no Brasil através do canal por assinatura Paramount aos domingos às 21h. A segunda temporada estreia no dia 25 de abril, na plataforma de streaming Hulu.

Confira o trailer da segunda temporada abaixo:

A fórmula das comédias românticas teen está cada dia mais ultrapassada, o número de produções do gênero tem caído e as histórias simplesmente parecem não saber aonde ir. Como revitalizar um gênero de forma original e repaginada para uma nova geração? Talvez a resposta tenha estado sempre na nossa cara. Baseado no livro Simon e a Agenda Homo Sapiens da escritora Becky Albertalli e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, o filme Com amor, Simon chega em diversos cinemas selecionados nesta quinta-feira, 22 de março, e estreia no dia 05 de abril em circuito nacional. Produzido e distribuído pela 20th Century Fox, o longa-metragem promete arrebatar uma legião de fãs do gênero, abordando um assunto extremamente pertinente aos dias atuais.

Simon Spier (Nick Robinson, de Jurassic World) é um adolescente como outro qualquer, morador de uma cidade pequena, ele vive uma vida feliz. Ele tem pais amorosos e compreensivos, uma irmã que ele adora e os melhores amigos do mundo. O único problema é que Simon guarda um segredo sobre si: ele é gay e não sabe muito bem como lidar com isso. Um dia, no blog de fofocas da escola, alguém posta um desabafo sobre como é estar dentro do armário no ensino médio. Ocultando suas identidades, Simon e o garoto começam a trocar e-mails, e de forma inevitável ele começa a se apaixonar pela pessoa do outro lado da tela e usa as poucas informações que possui pra tentar descobrir quem é o rapaz misterioso. Em um momento de distração, Simon deixa seu e-mail aberto no computador da escola, e quando um aluno insuportável vê, começa a chantagear o garoto, ameaçando vazar os e-mails no blog de fofoca caso Simon não o ajude a conquistar uma amiga.

Com leveza e simplicidade, Com amor, Simon aborda todas as questões conflitantes da adolescência sem deixar passar a verdade sobre essa época de transição. A questão da sexualidade do protagonista não poderia ser mostrada de forma mais real. Ele é um menino feliz, que tem tudo mas que não se sente seguro para se posicionar e se afirmar. Ainda hoje, sair do armário ainda é um desafio envolvendo segurança, maturidade e respeito. O longa é tão sensível (sem tirar os pés do chão) ao abordar todos os lados da situação que é praticamente impossível o espectador não se envolver com os personagens.

Com amor, Simon é muito poderoso no sentido de mostrar que todas aquelas situações são normais. A forma que Simon se posiciona cedendo a chantagem, as reações de sua família, as confusões com seus amigos. Tudo isso pode estar acontecendo em qualquer lugar. E mais importante que isso, ele afirma que o poder de se afirmar deveria estar unicamente nas mãos da própria pessoa.

O sorriso tímido de Simon, as personalidades diferentes e ainda que pouco exploradas de sua família e amigos e a representatividade presente em cada um dos personagens tem uma carga emocional muito forte no filme. É impossível sair do cinema sem sentir seu coração aquecido. Com amor, Simon acerta em cheio em seu maior alvo: Seja você mesmo.

Assista ao trailer:

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs