Autor: Gabriel Martins

Adicto às artes, pois através delas a vida ganha sentido.

Entre os inúmeros pilares das boas histórias está a vilania. O antagonismo aos heróis é tão fundamental quanto suas próprias existências e, esteticamente, esse antagonismo pode ser representado de diversas formas. Existe o figurino de vilão, existe a voz de vilão e existe a aparência física de vilão.

O cínico Scar

Nesse último caso o processo criativo tende a seguir uma receita de bolo: cicatrizes e incapacidades físicas, dentro de um determinado contexto, serão sinônimo de um personagem maldoso ou com algum desvio moral que o torne uma força a ser combatida. Mas por que isso acontece? Não existe uma única resposta a essa pergunta, mas sim três. Comecemos pela mais simples.

1 – A maldade exterior

Por mais que o objetivo de algumas histórias seja o de estudar a similaridade entre um herói e seu nêmesis (como acontece em diversos arcos do Batman, por exemplo), é preciso que existam diferenças apontáveis entre os dois. Um atalho para isso é, quase invariavelmente, a aparência do vilão. Que forma melhor de demonstrar que determinado personagem é mau do que dar a ele uma cicatriz por cima do olho, aliada a uma roupa preta e uma expressão inquietante? Por mais que você veja apenas uma imagem, já sabe que esse cara não pode ser o mocinho, certo?

Le Chiffre – Casino Royale (2006)

Esse tipo de recurso torna o envolvimento com a trama e os personagens mais vívido sem a necessidade de um roteiro muito elaborado, uma vez que a antipatia e a intimidação já foram estabelecidas sem que o público tenha sequer percebido. Então, eis o primeiro motivo pelo qual tantos vilões têm cicatrizes e deficiências físicas.

(Esse efeito também pode ser alcançado com o auxílio de formas geométricas, mas isso é assunto pra outro dia)

2 – O passado

Um bom vilão sempre tem uma motivação concreta para suas ações. Ninguém mais aguenta ir ao cinema para ver o mesmo discurso vazio de dominação/destruição global desferido através de um monólogo previsível que já foi replicado um milhão de vezes, certo? Pois então, com isso em mente os roteiristas precisam encontrar uma forma de convencer o público de que as ações desses personagens, por mais que sórdidas, derivam de uma razão ao menos compreensível. Entra em cena, em muitos casos, o passado.

Candyman é um dos maiores exemplos de vilão nascido de um passado cruel, que deixou marcas em seu corpo.

São poucos os vilões que se mostram simplesmente loucos varridos em busca  do mal pelo mal. A maioria deles é composta por personalidades corrompidas, seja por alguma situação traumática ou evento disruptivo, que ainda possuem uma bússola moral, mesmo que esta esteja quebrada. Segundo as palavras de um deles…

I’m not a monsterI’m just ahead of the curve.”

Novamente, a aparência dos antagonistas se apresenta como um atalho para transmitir essa ideia. O que seria do Coringa de Heath Ledger sem suas cicatrizes, que claramente são a causa (ou efeito) de sua loucura? Pelo que Koba lutaria em Planeta dos Macacos: O Confronto se não tivesse sido torturado e marcado pelos seres humanos no passado? Por que Efialtes mudaria de lado em 300 se não pela rejeição oriunda de sua deformidade?

Esse aqui dispensa comentários.

Diversos exemplos cabem aqui. Nesse caso, se a motivação existe, o elemento que irá solidificá-la estará no corpo do personagem.

3 – A extensão do poder

Estando estabelecido quem é o vilão e quais os seus motivos, os responsáveis pela obra têm um último desafio, que paira sobre todo o resto, mas pesa sobre os personagens: o convencimento.

Seja o que for, precisamos acreditar no que estamos vendo. Um dos mais fundamentais aspectos que compõem a forma com que nos relacionamos com a arte é a imersão. A sensação de que o mundo desaparece ao nosso redor enquanto olhamos à tela ou viramos as páginas de um livro fazem com que a experiência se eleve e se torne indistinguível de nossa própria existência.

Automat, por Edward Hopper. A sensação de pertencimento à realidade das pinturas são marca registrada das telas de Hopper.

Sabendo disso, precisamos tornar crível o poder que um vilão exerce, e isso pode ser facilmente atingido através das demonstrações de vulnerabilidade. Meio contraintuitivo, né? Mas calma, vai fazer sentido.

Poder pode nascer tanto do cano de uma arma como do respeito e devoção incondicionais. É compreensível que um personagem detentor de um grande poder bélico ou até mesmo físico e místico exerça total influência sobre as pessoas. Afinal, se o risco ao questionar suas ações é o de morte, ninguém o fará. Mas como você explica quando um outro personagem consegue, sentado em sua cadeira de rodas, decidir o futuro da humanidade apenas com palavras?

Dr. Strangelove

A ideia de que uma pessoa supostamente debilitada e em muitos casos incapacitada pode controlar tudo ao seu redor, sem sequer precisar se mexer é muito mais intrigante e intimidadora do que o oposto. Afinal, tal posição de poder só pode ter sido atingida através de feitos incríveis e muito provavelmente não será desmanchada, independentemente da ação tomada pelo herói. O vilão se torna uma ameaça real, já que o único cenário capaz de cessar o perigo que representa a sua existência é um em que ele próprio não exista mais. Atacar sua integridade física não vai funcionar, ela já está prejudicada. Vencê-lo se torna um desafio que vai muito além de simplesmente dar alguns murros.

O odioso Governador ordenando ataque à prisão, em The Walking Dead

Esses são os três motivos pelos quais temos tantos vilões com essas características, a precisão que elas atribuem ao personagem torna muito improvável que deixem de existir os vilões marcados, de uma forma ou de outra. Se você conseguir pensar em outras conclusões, sinta-se convidadíssimo para comentar e citar alguns exemplos. Até a próxima!

Desde que sua existência foi confirmada, Venom tem servido de alimento para as dúvidas dos fãs. Como o personagem, que é um vilão, vai protagonizar um filme solo sem a presença de seu inimigo, o Homem-Aranha? Isso impede que os dois eventualmente se enfrentem? Que história vai sustentar essa ideia? Qual o objetivo da Sony ao lançar esse filme num momento em que todas as produtoras querem estabelecer seus universos compartilhados?

Essas dúvidas, aliadas ao fato de que Venom é um filme pelo qual ninguém pediu, geraram uma espécie de anti-hype acerca do longa, para o qual a Sony sequer liberou um teaser. Bom, isso até hoje.

Não tem como sabermos se é culpa do filme ou do responsável pelo teaser, mas o fato é que ele pode ser listado, facilmente, como uma das 10 peças publicitárias menos empolgantes da história do cinema moderno.

Temos 1 minuto e 37 segundos de ação Hollywoodiana genérica, sublinhada por um discurso igualmente sem personalidade, que nem ao menos consegue emplacar uma boa frase de efeito. Seria injusto dizermos que o teaser não consegue transmitir a atmosfera do filme, já que pelo curto vídeo conseguimos ter uma ideia bastante clara do tipo de filme que Venom pretende ser: um blockbuster diluído e sem comprometimento, que busca a aceitação das massas através da repetição de clichês usados por filmes anteriores e melhores.

Na época do cinema que se arrisca e das campanhas publicitárias mirabolantes, é impossível não nos decepcionarmos sobre a visão engessada e chocha que parecem estar tendo para um dos personagens mais originais e intrigantes dos quadrinhos.

Espero estar errado. 

No intervalo do Super Bowl desse ano a Netflix resolveu surpreender os espectadores anunciando que a tão aguardada sequência de Cloverfield, até então conhecida como God Particle, seria lançada amanhã 05/02 no serviço de streaming.

A notícia pegou todos de surpresa, especialmente os fãs dessa franquia que inclusive foi listada aqui como um dos 10 filmes de terror mais aguardados desse ano. A sequência se chama “The Cloverfield Paradox” e foi dirigida por Julius Onah, contando a história de astronautas que precisam lutar pela sobrevivência após uma descoberta surpreendente.

Se um existe um gênero que gera expectativas com seus lançamentos esse gênero é o terror. Trailers, imagens, sequências, remakes, dúvidas e sustos. As vezes a quantidade de lançamentos acaba ofuscando bons filmes, por isso separamos 10 filmes para você ficar de olho ao longo de 2018.

Hellraiser: Judgement

Data de estreia no Brasil: 18/02

De todos os filmes nessa lista, esse é o que tem o público mais seleto, por seguir a sanguinolência desenfreada dos anteriores da franquia. Na história os detetives Sean e David Carter estão em um caso para encontrar um macabro assassino em série que aterroriza uma cidade. Unindo forças com a detetive Christine Egerton, eles investigam a fundo um labirinto espiral de horror que pode não pertencer a este mundo.

Aniquilação

Data de estreia no Brasil: 22/02

Se trata de uma adaptação do primeiro volume da Trilogia Comando Sul, escrita por Jeff Vandermeer. A trama sci-fi gira em torno da personagem de Natalie Portman, uma bióloga que com outras três mulheres sai em uma expedição à Área X, um local isolado da civilização onde as leis da natureza não se aplicam. Lá ela precisará lidar com um animal desconhecido, uma contaminação e ainda rastrear o paradeiro de colegas desaparecidos, entre eles seu marido.

Controvérsia

A Paramount, originalmente responsável pelo filme, recentemente vendeu o longa para a Netflix, limitando sua estreia nos cinemas a apenas três países: Canadá, Estados Unidos e China. O diretor Alex Garland confessou estar decepcionado com a decisão do estúdio, argumentando ter feito o filme para que fosse visto na tela grande do cinema.

The Strangers: Prey at Night

Data de estreia nos EUA: 09/03

Essa é uma sequência muito aguardada de um slasher notável e divisivo da década passada. Aqui o casal Cindy e Mike embarcam numa viagem de carro com seus filhos para levar filha rebelde a um internato. Antes de chegarem ao seu destino, a família resolve passar a noite em um isolado estacionamento de trailers onde acabam sendo vítimas de um selvagem trio de assassinos mascarados que testarão os limites de cada um numa noite assustadora.

Um Lugar Silencioso

Data de estreia no Brasil: 12/04

Dirigido por John Krasinski e estrelado por ele ao lado de Emily Blunt, o filme contará a história de uma família que vive isolada em uma fazenda, onde busca se esconder de criaturas sobrenaturais que são atraídas pelo som. A partir dessa premissa não é difícil prever que o estrondoso deslize de um dos membros vai colocar todos no fio da navalha enquanto lutam por suas vidas.

O choro silencioso da mãe no final do trailer mostra que o filme tem um belo potencial a exercer: o de se tornar o pique-esconde mais aflitivo de nossas vidas.

God Particle

Data de estreia no Brasil: ??/??

Mais um filme a integrar o brilhante universo de Cloverfield. Depois que um experimento científico envolvendo um acelerador de partículas a bordo de uma estação espacial tem resultados inesperados, os astronautas responsáveis se encontram isolados e assombrados por sua terrível descoberta, tendo que lutar pela sobrevivência.

Muito se especula sobre a natureza desse filme, já que a saga em questão é conhecida por ser uma das mais enigmáticas dos últimos tempos, contando com um marketing alternativo bizarro e easter eggs capazes de arrepiar até a alma.

The Purge: The Island

Data de estreia no Brasil: 04/07

Esse filme é um pouco diferente dos outros na lista, pois se trata de uma prequel, ou seja, uma história que se passa antes de todos os outros filmes da série. Esse filme abordará a primeira noite do Expurgo, como o governo dos Estados Unidos chegou a aderi-lo e como convenceram a população a participar do evento.

A Freira

Data de estreia nos EUA: 13/07

Esse é um derivado muito aguardado pelos fãs de Invocação do Mal. Quando uma jovem freira da Romênia tira a própria vida, um padre com um passado assombrado e uma noviça prestes a fazer seus votos finais são enviados pelo Vaticano para investigar. Juntos descobrem o segredo profano da ordem. Arriscando não só suas vidas, mas sua fé e suas próprias almas, eles confrontam uma força malévola na forma de uma freira demoníaca.

Suspiria

Data de estreia no Brasil: ??/??

Esse me deixa tão receoso quanto confiante. Se trata do remake de um clássico homônimo inestimável do terror, que será dirigido por Luca Guadagnino (Me Chame Pelo Seu Nome). Conta a história de uma bailarina americana que entra para uma academia alemã de balé e começa a se deparar com mortes que a fazem acreditar que o local é infestado por bruxas. 

Galerinha que vai estrelar o remake

Embora meu carinho pelo clássico de Dario Argento me deixe com um pé atrás, o elenco de primeira e a confiança no ascendente diretor criam em mim boas expectativas em relação ao resultado final. Até mesmo Jessica Harper, a protagonista da primeira versão terá um papel no filme. Não tem como dar errado, certo?

The Endless

Data de Estreia no Brasil: ??/??

Um misterioso filme que conta a história de dois irmãos que retornam ao culto religioso do qual escaparam quando mais jovens, só para descobrir que as crenças do grupo talvez sejam mais sãs do que eles imaginavam.

Sabemos pouco sobre esse filme, já que até recentemente nem mesmo a sinopse havia sido divulgada. Mesmo assim podemos ter uma ideia de sua qualidade, já que 100% dos 17 críticos agregados pelo Rotten Tomatoes que viram o filme o aprovaram.

Halloween

Data de estreia nos EUA: 19/10

Aqui Jamie Lee Curtis retorna ao seu icônico papel como Laurie Strode, que enfrenta pela última vez Michael Myers, a figura mascarada que a assombra desde que ela escapou por sorte do massacre na noite de Halloween há quatro décadas.

E aqui a lista é encerrada, com a sensação de que fãs de todos os gêneros terão ao menos um bom filme de terror para aguardar e assistir durante esse ano. Bons sonhos em 2018!

 

 

15 Second Horror Film Challenge é um desafio internacional organizado pela Troma Movies no qual diretores devem criar, como sugere o título, curtas-metragens de terror em 15 segundos que sejam capazes de assustar tanto quanto (ou mais) do que filmes de longa duração.

A terceira edição do concurso terminou recentemente, tendo como vencedor o curta chileno “Emma”, de Daniel Limmer. A obra foi descrita como “uma história sinistra” e está repercutindo por toda a internet. Abaixo você confere a pequena e assustadora história de Emma

A lista completa dos participantes você assiste nesse link. Bons sonhos.

Uma das mais recentes séries da Netflix, The End of the F***ing World, está chamando a atenção do público e da crítica pela criatividade da direção e originalidade do roteiro, adaptado da HQ homônima. A história segue dois adolescentes de 17 anos em uma viagem tragicômica e criminosa: James, que acredita ser um psicopata e Alyssa, que não se encaixa em lugar algum e vê na esquisitice de James uma potencial amizade. Os dois roubam um carro e fogem sem deixar rastro. A princípio James planeja matar Alyssa, mas a viagem se desenrola através de uma série de erros irreversíveis, cujas consequências estão além do controle de ambos.

James e Alyssa

De começo pode parecer forçado, mas acredite, o roteiro se aprofunda nos acontecimentos em proporções no mínimo surpreendentes. Nenhum dano causado pelos personagens será perdoado ou esquecido.

Se algo além disso se destacou na produção, com certeza foi a trilha sonora, composta por músicas recentes e antigas que criam uma atmosfera cinquentista envoltória, que ajuda a compor o mundo bizarro em que os protagonistas se meteram. Abaixo você confere a lista com as faixas que compõem essa trilha sonora tão marcante:

A primeira temporada de The End of the F***ing World conta com 8 episódios de aproximadamente 20 minutos cada e está disponível na Netflix. Com certeza vale a pena conferir essa combinação inusitada de romance, história policial e humor negro.

Há dois meses um usuário do reddit chamado johnboone16 fez um post anunciando que criou um site com o objetivo de reunir pôsteres de filmes e séries em HD e livre de textos. O site em questão se chama Moviemania, e quando foi anunciado contava com 12 mil cartazes diferentes em seu banco de dados, tendo mais de 4 mil adicionados de la para cá.

Segundo o próprio John, o site funciona através de categorias, é feito para ter uma utilização fluída tanto em computadores quanto em celulares e possibilita pesquisas usando nome de atores, diretores, franquias ou até mesmo tags.

A qualidade das imagens é realmente inacreditável, como você confere abaixo:

It

It (2017)

Liga da Justiça

Liga da Justiça (2017)

Stranger Things

Stranger Things

Eleven

Eleven

E aí, encontrou algo pra preencher a tela de bloqueio do seu celular?

Há alguns minutos as redes sociais oficiais dos estúdios Disney divulgaram o que seria o primeiro trailer da sequência de Os Incríveis, aclamada animação de 2004.

O filme deve estrear em 14 de junho do ano que vem e conta com a direção de Brad Bird, e o elenco que já conhecemos na versão original: Samuel L. Jackson como gelado, Holly Hunter como mulher elástica e Sarah Vowell como Violeta.

Quando se trata de cinema, um dos gêneros com o maior número de fãs fiéis é, sem dúvidas, o gênero de ficção científica. E não é pra menos, ele permite que façamos parte de mundos ora cheio de esperança e ora sombrios, mas sempre fantásticos e cheios de possibilidades a serem exploradas. É um gênero que eleva a discussão sobre o que é ser humano a outro patamar.

Primer (2004). O filme aborda o assunto através de uma complexidade nunca antes vista no cinema.

Uma das temáticas mais abordadas e adoradas desse gênero é a viagem no tempo. O conceito parece abrir um leque ilimitado de possibilidades, criando paradoxos e interpretações da realidade que nem sabíamos ser possíveis. Hoje, porém, com o conhecimento acerca de física temos a noção praticamente plena acerca da viabilidade e efeitos de tal viagem. Mas e quando não tínhamos? Quem imaginou, quando imaginou e como imaginou a primeira viagem no tempo? Viajemos ao passado para descobrir.

De onde (quando) veio a ideia?

É seguro dizer que quem inaugurou o conceito de viagem no tempo na ficção foi Samuel Madden. Em seu livro Memoirs of the Twentieth Century (escrito em 1733) o irlandês imagina o futuro através de cartas diplomáticas, que na história foram escritas por representantes britânicos que vivem em Constantinopla, Paris, Roma e Moscou, durante os anos de 1997 e 1998.

“O futuro deve ajudar o passado?”

Não existe diferença tecnológica entre o futuro imaginado pelo autor e o ano em que o livro foi escrito, o que os difere é a situação política do mundo. O livro funciona mais como uma sátira de As Viagens de Gulliver, que havia sido publicado 7 anos antes. A ideia pode parecer rudimentar, mas o fato é que ela foi muito mais do que apenas um esboço do que estava por vir.

Quem popularizou?

Mas não seria até 1895 que as histórias sobre viagem no tempo tomariam a forma pela qual as conhecemos hoje. Nascia pelas mãos de H.G. Wells o livro A Máquina do Tempo.

A história gira em torno de um personagem conhecido apenas como “O Viajante do Tempo”, que baseado em conceitos matemáticos constrói uma máquina capaz de se mover pela Quarta Dimensão (o tempo). Usando a máquina, o viajante se transporta para o ano 802.601 d.C., onde encontra um mundo paradisíaco habitado por uma raça ascendente dos humanos, os Elóis, que são pacíficos, mas predados por uma raça antes dominada por eles, que vive no subterrâneo.

A descrição da máquina feita no livro era vaga. Ela foi imaginada assim no primeiro filme.

O livro foi adaptado duas vezes para o cinema, uma em 1960 dirigida pelo mestre da ficção científica George Pal e outra em 2002, dirigida por Gore Verbinski e Simon Wells (bisneto do próprio H.G. Wells), estrelando Guy Pearce como o viajante.

A influência do inventivo livro assinado pelo autor britânico é inegável e imprescindível quando consideramos todo o conteúdo sobre viagem no tempo que veio a seguir.

E qual foi o primeiro filme a respeito?

O primeiro filme sobre viagem no tempo foi A Connecticut Yankee in King Arthur’s Court (o título dessa versão especificamente não foi traduzido para o português, mas versões posteriores traduziram como “Um Yankee na Corte do Rei Arthur” e “Na Corte do Rei Arthur), de 1921.

O filme é uma adaptação silenciosa do livro de 1889, escrito por Mark Twain, e conta a história do ianque titular, Martin Cavendish, que após ler o próprio livro de Twain, é transportado para os tempos do Rei Arthur, onde precisa usar seus conhecimentos modernos para despistar os inimigos do rei, Morgan le Fay e Merlin. O roteiro atualizou os conceitos do livro com referências modernas, como carros Ford e políticas americanas da época. A obra se tornou um clássico ao retratar, pioneiramente, o choque cultural que pode ser desencadeado por viagens no tempo, criando um estilo de narrativa cinematográfica que é reproduzida até os dias atuais.

Lamentavelmente, apenas alguns rolos do filme foram salvos, mais precisamente os rolos 2, 4 e 7. O banco de dados americano de filmes mudos o tem apenas em partes, o que é uma pena, pois o filme responsável pela criação de um estilo quase centenário merece alguns estudos mais profundos. Infelizmente, filme não é o material mais resistente do mundo…

Enfim. Viagens no tempo sempre estiveram no imaginário popular, sendo assim é impossível traçarmos uma linha do tempo muito precisa acerca de todas as referências anteriores ao cinema, mas espero, sinceramente, que essa breve história sobre esse tipo de histórias tem satisfeito a sua curiosidade, leitor.

Até a próxima!

 

 

Uma das reclamações mais frequentes de quem assina a Netflix é a escassez de bons filmes no catalogo, especialmente quando se trata de terror. O fato é que existem muitos filmes disponíveis no serviço, o suficiente para você deixar passar algumas produções excelentes e acabar assistindo a algo ruinzinho. Mas calma, é pra isso que a gente ta aqui. Nessa lista você vai encontrar 9 ótimos filmes de terror disponíveis na Netflix, dos quais provavelmente nem ouviu falar.

Corrente do Mal (2015)

Depois de um encontro romântico com a pessoa desejada você descobre que ela te passou uma maldição, e que agora uma entidade que pode tomar a forma de qualquer pessoa está te perseguindo em todos os lugares, com o único objetivo de te matar. O que você faz? É a essa pergunta que a personagem Jay, de 19 anos, precisa responder em Corrente do Mal, um thriller de paranoia inovador e extremamente bem dirigido.

 

Creep (2015)

Um filme com apenas dois personagens, capaz de te deixar grudado na tela do início ao fim. A história segue Aaron, um filmografista que aceita o trabalho de filmar Josef, um homem com uma doença terminal que quer deixar um registro em vídeo para seu filho ainda não nascido. Acontece que Josef começa a se comportar de modo estranho, fazendo Aaron acreditar que está lidando com um homem com sérios desvios mentais. A atuação de Mark Duplass (Josef) é inquietante, e o final de Creep é capaz de surpreender qualquer um.

 

Amizade Desfeita (2015)

O filme que se passa todo na tela de um computador, acompanhando uma conversa entre amigos que recebem uma mensagem da colega Laura Barns. O problema? Laura Barns cometeu suicídio há mais de um ano. Acreditando se tratar de uma brincadeira e seguindo o conselho de que não devemos responder mensagens dos mortos, os amigos entram numa espiral de perguntas que podem ter respostas desagradáveis.

 

Ao Cair da Noite (2017)

Uma doença letal se espalhou pelas cidades, enquanto em algum lugar na floresta Paul e sua família conseguiram se salvar e levar a vida numa casa isolada. O convívio regrado deles, porém, é abalado quando uma família desesperada pede refúgio em sua casa. Paul os acolhe, sem saber que atritos e desconfianças tomariam conta do ambiente e o forçariam a tomar decisões inimagináveis para proteger sua família.

Honeymoon (2014)

Dois jovens recém-casados, Paul e Bea, decidem passar a lua de mel em um lugar distante, no interior, onde a promessa de romance e privacidade os aguarda. Durante uma noite no lugar, Paul acorda e percebe que Bea sumiu. Ele sai para procurá-la e a encontra vagando pela floresta, desorientada. O episódio é justificado como sonambulismo, mas Paul acredita que algo está acontecendo com sua esposa, já que cada vez mais ela se comporta como se não estivesse ali.

Ninho de Musaranho (2014)

Década de 50, Madri. Montse, uma mulher que sofre de agorafobia vive com sua irmã mais nova, já que a mãe morreu durante o parto e o pai abandonou as filhas. A condição de Montse faz com que ela viva trancada dentro do apartamento, acompanhando a vida da irmã no mundo lá fora. Mas a chegada de um novo vizinho, Carlos, faz com que a relação entre elas siga um caminho assustador.

O Mistério De Candyman (1992)

Uma jovem universitária está fazendo um trabalho sobre lendas urbanas, e decide visitar conjuntos habitacionais onde supostamente o espírito de um escravo vaga. Esse espírito pode ser invocado ao ter seu nome (Candyman) dito 5 vezes em frente ao espelho. Disposta a desmentir a história, a jovem realiza o ritual e recebe a visita da entidade, que inicia uma série de assassinatos para convencê-la de sua existência.

O Hospedeiro (2006)

Como resultado do descarte químico feito em um rio sul-coreano, uma criatura surge e ataca a população que vive por perto. Dentre as vítimas está uma garotinha, que é levada para longe pelo monstro. Agora resta ao seu pai, juntamente com seu avô, tio e tia procurarem pela garota nos arredores, enquanto são perseguidos pelo governo, que acredita que o grupo pode estar infectado com uma doença trazida do rio.

 

 Vírus (2009)

Quatro jovens tentam fugir de um vírus que tomou o mundo todo viajando para uma praia isolada no Golfo do México, porém seus planos começam a dar errado quando o carro quebra em uma estrada isolada, obrigando-os a enfrentar uma luta pela sobrevivência.

A premissa é simples, mas muito bem executada. As questões morais são sólidas e abordadas da forma mais impactante possível, através de um ótimo trabalho de direção, que caracteriza um filme que pode ser visto e apreciado por todos.

Isso é tudo, pessoal. Conhece algum outro filme excelente escondido no catálogo? Comenta aí embaixo, e até a próxima.

Não é segredo que o longa que contará um pouco da história de Freddie Mercury, Bohemian Rhapsody, já está sendo filmado. A surpresa dessa vez é que há algumas horas o diretor do filme, Bryan Singer, divulgou em seu Instagram uma nova imagem do ator Rami Malek interpretando o cantor britânico, aumentando as expectativas dos fãs para o lançamento do filme. Confira:

Couldn't help myself and had to post this iPhone pic

A post shared by Bryan Singer (@bryanjaysinger) on

O filme deve estrear em 2018, e alguns detalhes da produção estão disponíveis aqui. 

Seguindo a série que lista estreias da Netflix, aqui estão os títulos que entrarão no catálogo nessa segunda semana de outubro:

 

12 de outubro

Dynasty (1ª temporada)
Meus 15 anos: O filme

 

13 de outubro 

A babá
Os Meyerowitz: Família não se escolhe
Mindhunter 
(1ª temporada)
Super monsters (1ª temporada/Infantil)
Nosso reino
Voltron: O defensos lendário 
(2ª temporada/Infantil)

 

15 de outubro 

Criminal Minds (12ª temporada)
Evereste
Fala Comigo
Frozen 
(Infantil)
Frozen fever (infantil)

Shaun, o carneiro (Infantil)

The Fosters (4ª temporada)

 

17 de outubro 

Gold

E aí, encontrou algo que te interessa ou achou as adesões da semana fracas?

Acidentes acontecem. Nos colocamos em risco diariamente durante atividades cotidianas, não importa o quão simples essas possam parecer. Quem nunca ouviu a frase “Você pode morrer atravessando a rua”?!

Se na vida de pessoas comuns como nós isso já é possível, não é surpresa que algumas grandes produções cinematográficas acabem de forma trágica, como as 5 da lista que você confere abaixo:

Os Mercenários 2 (2012)

A tragédia mais recente desta lista aconteceu no filme de Sylvester Stallone. A sequência custou 92 milhões de dólares e a vida de um dublê, Kun Liu. Ele fazia uma cena num barco enquanto este explodia, até que algo deu errado. Seus pais processaram o estúdio produtor do filme, alegando que a manobra não havia sido planejada corretamente e que seu filho não tinha o treinamento necessário para a ação.

Tubarão (1969)

O filme conta a história de um contrabandista de armas que é contratado para extrair bens de um navio naufragado em águas infestadas por tubarões. Não foi o filme mais bem sucedido do mundo, como você já deve saber, mas o intrigante sobre essa produção é a morte de um jovem dublê, José Marco. As filmagens contavam com tubarões reais, e enquanto o dublê se preparava para a cena de abertura, foi atacado por um tubarão que não estava devidamente sedado. Não somente sua morte foi filmada, como também foi usada pelo estúdio para divulgar o longa, fazendo com que o diretor do filme repudiasse seu próprio trabalho.

Ben-Hur (1925)

Essa é uma história conhecida, sobre um dublê que morreu quando sua charrete apresentou mal funcionamento. O perturbador é que as filmagens foram colocadas no filme, ainda que muito editadas para garantir que a morte do jovem não fosse vista. Diversos cavalos também morreram na produção desse que é o segundo filme mudo mais caro da história.

Top Gun (1986)

O filme contava com pilotos acrobatas profissionais para a realização de algumas cenas, é claro, mas um especificamente teve um destino trágico e misterioso. Art Scholl teve seu avião arremessado direto para o oceano pacífico. Ele e a aeronave que pilotava nunca foram encontrados.

Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008)

Muito se discute sobre a relação entre as rotinas de filmagem e a morte do ator Heath Ledger, mas uma coisa é indiscutível: A morte do cinegrafista Conway Wickliffe ter sido um resultado da produção. Conway ensaiava uma cena de ação em um caminhão, quando o veículo perdeu controle em uma curva e atingiu uma árvore. O homem morreu no impacto. O diretor de efeitos especiais foi absolvido das acusações de não ter garantido a segurança necessária ao colega de trabalho.

 

O DNA é algo fantástico. Define as nossas características, das mais simples às mais fundamentais, garante a hereditariedade e… Faz com que algumas celebridades pareçam clones.

Se você já se pegou assistindo a um filme ou série, só para depois descobrir que aquele ator ou atriz que protagonizou a história era outra pessoa, idêntica à que você estava pensando, essa lista é pra você. Eis 10 celebridades que parecem gêmeas.

Tom Hard e Logan Marshall-Green

Quem é quem?

 – Margot Robie e Jaime Pressly

Arlequina 90’s

 – Scarlett Johansson e Amber Heard

Nunca mais o Hulk fica nervoso

 – Jeffrey Dean Morgan e Javier Bardem

Qual deles ta em “Mother!” mesmo?

 – Eli Roth e Zachary Quinto

Ok, eu to realmente confuso

 – Zooey Deschanel e Katy Perry

Eu com franja/Eu sem franja

 – Henry Cavill e Matt Bomer

SUPER parecidos (há!)

 – Elijah Wood e Daniel Radcliffe

Frodo Potter

 – Katharine McPhee e Kendall Jenner

Gêmeas!

 – Minka Kelly e Leighton Meester

Rainha e princesa

Isso é tudo, pessoal. Comente qual dessas duplas você acha que mais se parecem, e até a próxima!

Dentre eles estão títulos originais, como Stranger Things, filmes recentes, como It Comes at Night (2017) e filmes não tão recentes, mas aguardados no serviço, como Frozen (2013).

Abaixo, a lista completa: 

01 de outubro 

Gravity Falls: um verão de mistérios (2ª temporada/Infantil)
Equestria girls: Tales of Canterlot High (1ª temporada/Infantil)
Peaky Blinders (1ª a 3º temporada)

 

05 de outubro

It was fifty years ago today! The Beatles: Sgt Pepper and beyond
The story of Diana

 

06 de outubro 

A morte e vida de Marsha P. Johnson
Designated Survivor 
(2ª temporada)
Festa de palavras (3ª temporada/Infantil)
ID-0 (1ª temporada)
Skylanders academy (2ª temporada/Infantil)
Suburra (1ª temporada)

12 de outubro

Dynasty (1ª temporada)
Meus 15 anos: O filme

 

13 de outubro 

A babá
Os Meyerowitz: Família não se escolhe
Mindhunter 
(1ª temporada)
Super monsters (1ª temporada/Infantil)
Nosso reino
Voltron: O defensos lendário 
(2ª temporada/Infantil)

 

15 de outubro 

Criminal Minds (12ª temporada)
Evereste
Fala Comigo
Frozen 
(Infantil)
Frozen fever (infantil)

Shaun, o carneiro (Infantil)

The Fosters (4ª temporada)
17 de outubro 

Gold

 

20 de outubro

Arrow (5ª temporada)
One of us
Suits 
(7ª temporada)
The Flash (3ª temporada)
Quando conheci El Chapo
Wheelman
1992

 

24 de outubro

It comes at night

 

27 de outubro 

Stranger Things (2ª temporada)
O universo de Stranger Things (Parte 1)

 

Infelizmente o que sai do catálogo sempre pesa muito mais do que o que entra…

Trata-se de Anna and the Apocalypse, um filme que contará a história de Anna, uma jovem que tenta sobreviver a um apocalipse zumbi com seus amigos em uma cidadezinha, rumando à escola do lugar enquanto lutam contra os mais diversos monstros e cantam para celebrar e entender a adolescência.

O filme, que mais parece uma sequência do game Dead Rising, será dirigido por John McPhail e ainda não tem data de estreia.

Uma das séries mais aguardadas do ano, especialmente pelos fãs de quadrinhos e histórias de heróis acaba de ter novas imagens liberadas. Trata-se de O Justiceiro, que vem para expandir o universo Marvel na televisão, que já conta com séries como Demolidor, Jessica JonesLuke Cage, Punhos de Ferro e a mais recente produzida pela Netflix, Os Defensores. As imagens, que você confere abaixo, mostram alguns personagens já conhecidos pelo público, alguns ainda não introduzidos e um poster exclusivo.

A série estreia em novembro desse ano, e conta com um grande elenco: Jon Bernthal, como o personagem titular, Deborah Ann Woll como a já conhecida Karen Page e Ben Barnes, como o vilão Retalho. E aí, como vão as expectativas?

Depois de anos, finalmente estamos recebendo notícias do filme biográfico de Freedie Mercury, Bohemian Rhapsody, que se passará no período entre a criação da banda, na década de 70 e o show em 1985 na Live Aid.

Hoje a revista Entertainment Weekly divulgou a primeira imagem de Rami Malek como o vocalista, que você confere abaixo:

A semelhança visual é inegável e o talento de Malek é inquestionável. O que nos resta agora é a expectativa, já que o filme dirigido por Bryan Singer deve estrear apenas no final de 2018.

A segunda temporada contará a história de Gianni Versace, o estilista italiano que foi assassinado a tiros dentro de sua mansão (mostrada no vídeo) em 1997.

O elenco conta com Penélope Cruz, como irmã de Gianni, Rick Martin como Antonio D’Amico (namorado do estilista), Max Greenfield, Finn Wittrock, Nico Evers-Swindell e Annaleigh Ashford.

A temporada se chamará The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story e irá ao ar em 2018, no FX.

A notícia é do site Deadline, que divulgou que o filme de origem de um dos vilões mais icônicos da história está em estágio inicial de produção e já conta com roteiro de Todd Phillips (Se Beber, Não Case) e Scott Silver (8 Mile) e direção também de Phillips, enquanto o responsável pela produção será Martin Scorsese, que dispensa apresentações.

O filme terá um tom sério, mundano, contando uma história sobre crime que se passará no começo dos anos 80, apresentando a origem do príncipe do crime, que não será interpretado por Jared Leto. Mas se você é um fã, pode ficar tranquilo: ele ainda está escalado para a sequência de Esquadrão Suicida e o spinoff sobre a Arlequina.

A origem mais aceita do Coringa continua sendo a de “A Piada Mortal”, obra prima de Alan Moore.

A decisão de juntar Todd Phillips e Scott Silver para roteirizar o longa, a princípio, foi um grande acerto, já que um é um excelente escritor de comédias adultas e o outro um mestre no drama. Resta saber se a origem do Coringa será reinventada ou reaproveitada das HQs clássicas. De qualquer forma, é um filme de potencial inegável e que, se bem feito, agregará muito ao universo cinematográfico da DC, que a Warner Brothers tanto sofre para estabelecer.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs