Autor: Caio Augusto

Estudante, 21 anos, apresentador do canal Cinerama TV, e o maior fã do Scorsese que você respeita.

Academia de Artes e Ciências Cinematográficas revelou a lista de pré-indicados a Melhor Maquiagem da 90ª edição do Oscar. Confira (via Indie Wire):

Bright
O Destino de Uma Nação
A Vigilante do Amanhã: Ghost in The Shell
Guardiões da Galáxia Vol. 2
I, Tonya
Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha 
Extraordinário

A lista final, com cinco títulos, será divulgada no dia 23 de janeiro. A cerimônia será realizada em 4 de março.

Academia de Artes e Ciências Cinematográficas revelou a lista de pré-indicados a Melhor Canção Original do Oscar 2018. Entre as produções selecionadas estão A Bela e a FeraMe Chame Pelo Seu Nome e Cinquenta Tons Mais Escuros. Confira (via Indie Wire):

“U.N.I (You And I)”, de And the Winner Isn’t
“Love And Lies”, de Band Aid
“If I Dare”, de A Guerra dos Sexos
“Evermore”, de A Bela e a Fera
“How Does A Moment Last Forever”, de A Bela e a Fera
“Now Or Never”, de Bloodline: Now or Never
“She”, de Bombshell: The Hedy Lamarr Story
“Your Hand I Will Never Let It Go”, de O Livro de Henry
“Buddy’s Business”, de Confronto no Pavilhão 99
“The Crown Sleeps”, de The Breadwinner
“World Gone Mad”, de Bright
“Mystery Of Love”, de Me Chame pelo Seu Nome
“Visions Of Gideon”, de Me Chame pelo Seu Nome
“Captain Underpants Theme Song”, de As Aventuras do Capitão Cueca: O Filme
“Ride”, de Carros 3
“Run That Race”, de Carros 3
“Tell Me How Long”, de Chasing Coral
“Broken Wings”, de City of Ghosts
“Remember Me”, de Viva – A Vida é Uma Festa
“Prayers For This World”, de Cries from Syria
“There’s Something Special”, de Meu Malvado Favorito 3
“It Ain’t Fair”, de Detroit em Rebelião
“A Little Change In The Weather”, de Pequena Grande Vida
“Stars In My Eyes (Theme From Drawing Home)”, de Drawing Home
“All In My Head”, de Elizabeth Blue
“Dying For Ya”, de Elizabeth Blue
“Green”, de Elizabeth Blue
“Can’t Hold Out On Love”, de Father Figures
“Home”, de O Touro Ferdinando
“I Don’t Wanna Live Forever”, de Cinquenta Tons Mais Escuros
“You Shouldn’t Look At Me That Way”, de Film Stars Don’t Die in Liverpool
“This Is How You Walk On”, de Um Laço de Amor
“Summer Storm”, de O Castelo de Vidro
“The Pure And The Damned”, de Bom Comportamento
“This Is Me”, de O Rei do Show
“The Hero”, de The Hero
“How Shall A Sparrow Fly”, de Hostiles
“Just Getting Started”, de If You’re Not in the Obit, Eat Breakfast
“Truth To Power”, de Uma Verdade Mais Inconveniente
“Next Stop, The Stars”, de Kepler’s Dream
“The Devil & The Huntsman”, de Rei Arthur: A Lenda da Espada
“Have You Ever Wondered”, de Lake of Fire
“I’ll Be Gone”, de Lake of Fire
“We’ll Party All Night”, de Lake of Fire
“Friends Are Family”, de LEGO Batman: O Filme
“Found My Place”, de LEGO Ninjago: O Filme
“Stand Up For Something”, de Marshall
“Rain”, de Mary and the Witch’s Flower
“Myron/Byron”, de Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe
“Longing For Summer”, de Moomins and the Winter Wonderland
“Mighty River”, de Mudbound
“Never Forget”, de Assassinato no Expresso do Oriente
“Hold The Light”, de Only the Brave
“PBNJ”, de Patti Cake$
“Tuff Love (Finale)”, de Patti Cake$
“Lost Souls”, de The Pirates of Somalia
“How A Heart Unbreaks”, de A Escolha Perfeita 3
“The Promise”, de A Promessa
“Kaadanayum Kaalchilambe”, de Pulimurugan
“Maanathe Maarikurumbe”, de Pulimurugan
“Stubborn Angel”, de Same Kind of Different as Me
“Dancing Through The Wreckage”, de Served Like a Girl
“Keep Your Eyes On Me”, de A Cabana
“On The Music Goes”, de Slipaway
“The Star”, de A Estrela de Belém
“Jump”, de Step
“Tickling Giants”, de Tickling Giants
“Fly Away”, de Trafficked
“Speak To Me”, de Voice from the Stone
“Walk On Faith”, de Year by the Sea

A lista final, com cinco títulos, será divulgada no dia 23 de janeiro. A cerimônia será realizada em 4 de março.

Segundo o site Fantha Tracks, o título de produção de Star Wars: Episódio IX será Black Diamond. O site foi o responsável por ter divulgado corretamente os títulos dos dois últimos filmes da franquia – Os Últimos Jedi como Space Bear e Rogue One como Los Alamos.

O site teoriza que diamantes negros são conhecidos por sua luminosidade, especulando que “seres iluminados” podem retornar para o último filme da trilogia.

Foi revelado também que J.J. Abrams teve uma reunião com a Disney no último dia 15 para discutir o próximo filme. A produção se inicia no começo de 2018 e Star Wars: Episódio IX chega aos cinemas em 20 de dezembro de 2019

 

No meio dessa situação, um usuário do Reddit, uma mistura de fórum e rede social, onde o usuário é quem posta conteúdos e faz a curadoria dos outros temas também adicionados, relatou que, em questão de dias após uma mudança de comportamento de consumo, a Netflix mandou um e-mail para ele perguntando se estava tudo bem.

O internauta disse que “estava em uma crise de depressão, sem trabalhar e de férias da faculdade. Acabei não fazendo nada além de assistir à Netflix e assisti a The Office inteiro em um período de cinco a dez dias”, escreveu.

Segundo ele, a conta usada por tanto tempo sem interrupção foi o motivo do contato: “Eu estava com a minha conta logada por mais de uma semana sem parar, o que era bem mais frequente do que eu usava”, relatou.

E continuou: “Honestamente, mesmo sendo um e-mail padrão de um estranho no serviço ao usuário da Netflix, isso me fez sentir melhor, porque pelo menos uma pessoa estava se importando comigo”, concluiu.

O fato ocorreu cerca de três anos, mas só veio à publico três dias atrás, com o relato.

Em resposta a toda atenção gerada pela história, King-Salamander (nome escolhido pelo usuário) relatou que “não era esperada” e que ele não tem como comprovar o fato ou mesmo mostrar o e-mail da empresa, já que na época seu e-mail vinculado ao registro de aluno na faculdade comunitária em que participava. O que atualmente não acontece mais.

Sobre a depressão, ele assinalou que está “muito melhor agora! E que “sempre sofrerei de depressão, como é uma doença mental, mas aprendi que não se trata de tentar vencer o monstro, mas sim aprender a viver com ele. Qual é a linha no final da temporada [da série]Bojack 2? “Todos os dias fica um pouco mais fácil, mas você tem que fazer todos os dias. Essa é a parte mais difícil. Mas é mais fácil”.

Em resposta ao Estadão, quem noticiou a história, a Netflix relatou que “não aborda proativamente seus assinantes para verificar seus hábitos de visualização”. Ocasionalmente eles enviam “e-mails para nossos assinantes com recomendações de títulos que possam ser do interesse deles.”

Após surpreender seu público com uma parceria inusitada com o SBT em 2017, para lançar a segunda temporada de Stranger Things, a Netflix agora volta com uma nova surpresa: acordo especial com a Record para produção de conteúdo em 2018.

Quem informa a novidade é o colunista Flávio Ricco, do UOL, dizendo ainda que as primeiras produções devem começar a serem feitas no primeiro semestre de 2018. Ricco diz ainda que o acordo prevê a realização de duas novas séries.

Uma delas deve ser escrita pelo roteirista Gustavo Reiz, autor de Sansão e Dalila, Os Ricos Também Choram e a mais recente Belaventura.

Ainda não se sabe se a colaboração vai gerar séries exclusivas da Netflix ou se elas serão exibidas na TV e pelo serviço de streaming. Vale lembrar que o catálogo da empresa norte-americana possui alguns títulos da Rede Record, como a novela Os 10 Mandamentos.

É curioso ver como a Netflix tem se aproximado de emissoras de TV para produção de conteúdo e parcerias, principalmente pelo serviço de streaming ser considerado um forte concorrente delas, em sua maioria.

A série Dark foi praticamente sucesso instantâneo assim que estreou na Netflix no dia 1 de dezembro. Agora, o serviço de streaming anunciou que renovará a produção alemã para uma segunda temporada, dando sequência aos acontecimentos dramáticos com uma boa dose de ficção científica que marcaram a primeira temporada.

Segundo a empresa, Dark é, atualmente, a série que não tem o inglês como idioma mais assistida em todo o mundo na plataforma, com destaque para países como os Estados Unidos, Brasil, Itália, Turquia, Espanha e França.

Na trama, que foi criada originalmente para a própria Netflix, os moradores da cidade de Winden acompanham eventos misteriosos envolvendo mortes inexplicáveis de animais, falhas no fornecimento de energia e desaparecimento de crianças. Então, a coisa toda começa a ser explicada para o espectador, que se vê envolto por uma história repleta de ficção científica e um toque de fantasia.

Agora é oficial! A série baseada em O Senhor dos Anéis segue em desenvolvimento pela Amazon Studios.

O serviço de streaming anunciou nesta segunda-feira (13) que adquiriu os direitos da adaptação televisiva da obra de J.R.R. Tolkien para uma produção de várias temporadas. Além disso, o acordo inclui potenciais séries spin-off.

A série original será produzida pela Amazon Studios em parceria com a Tolkien Estate and Trust, a editora HarperCollins e a New Line Cinema, divisão da Warner Bros. responsável pelos franquia de filmes de O Senhor dos Anéis. Situada na Terra Média, a trama vai explorar novas histórias que precedem A Sociedade do Anel.

O Senhor dos Anéis é um fenômeno cultural que capturou a imaginação de gerações de fãs através da literatura e da tela grande”, disse Sharon Tal Yguado, diretora do roteiro de séries da Amazon Studios. “Estamos honrados em trabalhar com a Tolkien Estate and Trust, a HarperCollins e a New Line nesta colaboração emocionante para a televisão e estamos entusiasmados em levar os fãs de O Senhor dos Anéis em uma nova jornada épica pela Terra Média”.

Enquanto não foram dados mais detalhes do acordo, segundo o Deadline, o streaming “batalhou” com a Netflix e a HBO pelos direitos autorais, que foram adquiridos numa faixa de 200 a 250 milhões de dólares. Vale notar que esse valor é somente para os direitos, sem contar custos de locação, desenvolvimento, elenco e produção, o que pode ser considerado “insano” por muitos da indústria televisiva.

“Estamos muito satisfeitos que a Amazon, com seu compromisso de longa data com a literatura, ser sede da primeira série de televisão multi-temporada de O Senhor dos Anéis”, disse Matt Galsor, representante da Tolkien Estate and Trust e HarperCollins. “Sharon e a equipe da Amazon Studios têm ideias excepcionais para trazer para a tela histórias previamente inexploradas com base nas obras originais de J.R.R. Tolkien.”

A Academia divulgou no final da tarde de ontem os 26 filmes que foram submetidos e aceitos para concorrerem ao Oscar de Melhor Animação!

Basicamente, todos os filmes que estão mais fortes na corrida estão presentes como os filmes da “LEGO”“Com Amor, Van Gogh” e “Viva”. Tivemos também algumas ausências comentadas, como “A Bailarina”“Animal Crackers” e “The Nut Job 2”. Esse último é da Weinstein Company, provavelmente esse pode ser um motivo para o filme nem tentar uma vaga.

Junto com a lista, foi divulgado o seguinte comunicado: “Vários dos filmes ainda não tiveram a execução de qualificação para Los Angeles. Os trabalhos enviados devem cumprir os requisitos de lançamento e cumprir todas as outras regras de qualificação da categoria antes que possam avançar no processo de votação. Dependendo do número de filmes que qualificam, dois a cinco indicados podem ser eleitos. Dezesseis ou mais filmes devem se qualificar para que o máximo de cinco candidatos seja votado”.

Esse comunicado nos lembra que esse ano a categoria está passando por grandes mudanças. Pois, pela primeira vez, todos os membros da Academia poderão votar para escolher qual é a Melhor Animação. Isso vêm dividindo opiniões, pois pode ser que apenas filmes mais populares levem o prêmio, mesmo que tecnicamente não sejam os melhores. Mas, ao mesmo tempo, podem acontecer escolhas curiosas e relevantes, como acontece em Melhor Filme.

Veja abaixo a lista com os 26 filmes:

“A Estrela de Belém”
“A Menina sem Mãos”
“A Silent Voice”
“Capitão Cueca”
“Carros 3”
“Cinderella the Cat”
“Com Amor, Van Gogh”
“Emoji: O Filme”
“Ethel & Ernest”
“LEGO Batman: O Filme”
“LEGO Ninjago: O Filme”
“Mary and the Witch’s Flower”
“Meu Malvado Favorito 3”
“Moomins and the Winter Wonderland”
“My Entire High School Sinking into the Sea”
“Napping Princess”
“Neste Canto do Mundo”
“O Poderoso Chefinho”
“O Touro Ferdinando”
“Os Smurfs e a Vila Perdida”
“Psiconautas”
“Sword Art Online: Ordinal Scale”
“The Big Bad Fox and other tales”
“The Breadwinner”
“Viva: A Vida é uma Festa”
“Window Horses The Poetic Persian Epiphany of Rosie Ming”

Bob Iger apresentou mais que bons números e a força financeira da Disney no evento de divulgação dos lucros da empresa no quarto semestre e em todo o ano de 2017. E mais que uma nova trilogia de Star Wars no cinema. O presidente do estúdio também anunciou que a franquia espacial criada por George Lucas ganhará uma nova série. Agora, com atores de carne e osso.

A adaptação televisiva de Star Wars será um dos primeiros carros-chefes da plataforma de streaming que a Disney lançará em 2019. Em sua companhia, outras duas franquias ganharão versão para a TV: Monstros S.A., animação de sucesso da Pixar que estreia na TV após uma continuação de recepção modesta no cinema, Universidade Monstros; e o fenômeno mundial teen High School Musical.

Star Wars possui duas atrações televisivas de sucesso: The Clone Wars, finalizada em 2014; e Rebels, em produção. Ambas séries de animação.

Warner divulgou no YouTube a trilha sonora completa de Liga da Justiça:

  1. “Everybody Knows” — Sigrid
  2. The Justice League Theme — Logos
  3. Hero’s Theme
  4. Batman on the Roof
  5. Enter Cyborg
  6. Wonder Woman Rescue
  7. Hippolyta’s Arrow
  8. The Story of Steppenwolf
  9. The Amazon Mother Box
  10. Cyborg Meets Diana
  11. Aquaman in Atlantis
  12. Then There Were Three
  13. The Tunnel Fight
  14. The World Needs Superman
  15. Spark of The Flash
  16. Friends and Foes
  17. Justice League United
  18. Home
  19. Bruce and Diana
  20. The Final Battle
  21. A New Hope
  22. Anti-Hero’s Theme
  23. “Come Together” — Gary Clark Jr. and Junkie XL
  24. “Icky Thump” — The White Stripes
  25. The Tunnel Fight (Full Length Bonus Track)
  26. The Final Battle (Full Length Bonus Track)
  27. Mother Russia (Bonus Track)

Nova propaganda de Liga da Justiça reúne os principais jogadores do Paris Saint-Germain, entre eles o brasileiro Neymar, como uma verdadeira equipe de heróis. Confira:

Neymar, que sempre usou o nick BatmanLoko no Steam, é o Homem-Morcego, enquanto a capitã da equipe feminina do PSG Laure Boulleau é a Mulher-Maravilha. O restante da equipe é formada por Verrati como Ciborgue; Mbappe como Flash; e Cavani como Aquaman.

Mark Millar indicou em seu Twitter que um novo filme de Kick-Ass pode ser anunciado na próxima semana. Usando uma foto dos filmes anteriores, o autor escreveu:

“Certo, esse brilho não vai se escrever sozinho. Hora de ajudar a fazer um release para a grande notícia de Kick-Ass e Hit-Girl na próxima semana”. Vale lembrar que, apesar de a Netflix ter comprado o Millarworld, os diretos de Kick-Ass são do diretor Matthew Vaughn.

Em entrevista para uma rádio (via Variety), Jon Bernthal afirmou que perdeu o respeito por Kevin Spacey após trabalhar com ele no set de Em Ritmo de Fuga (Baby Driver):

“Ir para o set e trabalhar com ele – bom, eu não estive lá por muito tempo e não me sinto na situação de julgar – mas quando eu estava lá ele realmente me incomodou. Senti que ele era meio um ‘bully’, realmente não me importei muito em como ele estava se comportando com as outras pessoas no set. Acho que ele estava se comportando de uma forma… me lembro de pensar na época ‘cara, se ele estivesse falando assim com uma mulher, eu teria feito algo, dito algo’. E fiquei bem feliz quando saí de lá por essa razão. Apenas me lembro de ter perdido todo o respeito por ele. O tipo de homem que ele era quando o vi, trabalhar com ele, me fez perder todo o respeito e fiquei muito desapontado”.

No fim de outubro, Spacey foi acusado de assédio sexual por Anthony Rapp, quando este tinha 14 anos. O ator se desculpou e também se declarou gay na ocasião. Desde então, o Emmy cancelou uma homenagem ao ator e a produção da sexta temporada de House of Cards foi suspensa, enquanto Netflix e a produtora MRC avaliam a situação.

O comediante Louis C.K. respondeu às acusações de assédio, publicadas pelo New York Times, afirmando que “essas histórias são verdadeiras”. Confira declaração na íntegra do comediante (via TV Line):

“Queria falar sobre as histórias contadas no New York Times pelas cinco mulheres, chamadas Abby, Rebecca, Dana e Julia , que sentiram que poderiam se identificar e aquela que não.

“Essas histórias são verdadeiras. Na época, dizia para mim mesmo que o que fazia era ok, porque nunca mostrei meu pênis a uma mulher sem perguntar antes, o que também é verdade. Mas o que aprendi mais tarde na vida, tarde demais, é que quando você tem poder sobre outra pessoa, pedir para ela que olhe para o seu pau não é uma pergunta. É um dilema. O poder que eu tive sobre suas mulheres é o fato de que elas me admiravam.

“O poder que eu tinha sobre essas mulheres é que elas me admiravam. E exerci esse poder de forma irresponsável.

“Sinto remorso sobre as minhas ações. E eu tenteni aprender com elas. E fugi delas. Agora estou ciente da extensão do impacto das minhas ações. Aprendi ontem o quão mal consigo mesmas fiz essas mulheres que me admiravam se sentirem, além de deixá-las cautelosas com homens que jamais as colocariam nessa posição.

“Também tirei vantagem do fato de que eu era amplamente admirado na minha e na comunidade delas, o que as impediu de compartilhar suas histórias e trouxe dificuldades para elas quando tentaram, porque as pessoas não queriam ouvi-las. Não pensei que fazia essas coisas, porque minha posição me permitia não pensar a respeito.

“Não me perdoo por nada disso. E eu tenho que me reconciliar comigo mesmo. O que não é nada se comparada à tarefa que deixei a elas.

“Gostaria que eu tivesse reagido à altura de suas admirações, sendo um bom exemplo para elas como homem e dado alguma orientação enquanto comediante, incluindo porque eu admirava seus trabalhos.

“O maior arrependimento é o que você fez para machucar alguém. E mal consigo dimensionar a dor que causei a elas. Seria negligente da minha parte excluir a dor que trouxe para as pessoas com as quais trabalho e já trabalhei, cujas vidas profissionais e pessoais foram impactadas por tudo isso, incluindo projetos atualmente em desenvolvimento: elenco e produção de Better Things, Baskets, The Cops One Mississippi e I Love You Daddy. Eu me arrependo profundamente que isso tenha trazido atenção negativa a meu agente Dave Becky, que apenas tentou mediar a situação que causei. Trouxe angústia e dificuldades a pessoas da FX, que me deram tanto, a Orchard que me deu a chance de fazer o filme, e todas as outras entidades que apostaram em mim ao longo dos anos.

“Trouxe dor para minha família, meus amigos, meus filhos e sua mãe.

“Passei minha carreira longa e sortuda falando qualquer coisa que eu queria. Agora, vou dar um passo para trás e tomarei um tempo para ouvir.

“Obrigado por ler”.

Cinco mulheres afirmam que Louis C.K. as assediou durante os anos 2000, de acordo com reportagem do New York Times publicada ontem (9). Segundo os relatos, o comediante se masturbava em frente às vítimas.

A Disney anunciou que vai produzir uma nova trilogia de filmes da série Star Wars mas que não farão parte da saga Skywalker, que terá — até o momento pelo menos — nove episódios. O diretor Rian Johnson, de Os Últimos Jedi, que cuidará da criação deste novo universo, mostrando novos mundos e personagens. Ainda não há informações de quando os novos filmes serão lançados. Por enquanto, Star Wars: Episódio IX deve chegar aos cinemas em 2019.

Johnson fechou um acordo com a Disney e vai ser roteirista, diretor e criador dos novos filmes. A companhia já planeja uma série de Star Wars para seu novo serviço de streaming que também deve chegar em 2019.

O anúncio foi feito por Bob Iger, presidente-executivo da Disney, durante anúncio fiscal.

“Todos amamos o trabalho de Rian em Os Últimos Jedi. Ele é uma força criativa e assisti-lo criar do começo ao fim este novo filme foi uma das coisas mais magníficas da minha carreira. Rian vai fazer coisas incríveis com toda a liberdade que tem para criar essa nova trilogia”, disse Kathleen Kennedy, presidente da Lucaasfilm.

Em novembro o catálogo da Netflix retira da sua lista de programação alguns clássicos do cinema. Entre eles estão Psicose (1960), de Alfred Hitchcock, e A lista de Schindler (1993), de Steven Spielberg, que sairão a partir de 16.

Já entre as séries, Two and a Half Men estrelada por Charlie Sheen e Ashton Kutcher está entre as produções que sairão do catálogo.

A escolha de Sofia, De volta para o futuri 2, Hannibal, Homem Irracional, Sexy and the city: o filme e Planeta dos Macacos estão, também, entre os títulos que serão retirados.

Por outro lado, 33 filmes e séries chegarão ao catálogo neste mês, confira a lista:
Séries
Alias Grace: Limited Series – já disponível

Marvel – O Justiceiro – 17 /11/2017
Godless: Limited Series – 22/11/2017
Ela Quer Tudo – 23/11/2017
The Sinner – já disponível
Nobel – já disponível

Frontier – Temporada 2 – 24/11/2017
Glitch – Temporada 2 – 28/11/20177
Greenleaf – Temporada 2 – já disponível
The Big Family Cooking Showdown – 03/11/2017
Atlanta – 25/11/2017
12 Macacos – Temporada 3 – 16/11/2017
Filmes
O Príncipe Do Natal – 17/11/2017
O Matador – 10/11/2017
Amor Por Direito – já disponível

Morte Limpa – já disponível
De Canção Em Canção – 21/11/2017
A Entidade 2 – 01/11/2017
Descompensada – 12/11/2017
Straight Outta Compton: A História Do N.W.A. – 12/11/2017
3 Generations – 20/11/2017
Documentários e Especiais
Cuba E O Cameraman – 24/11/2017
Salvando O Capitalismo – 21/11/2017
Jennifer Lopez: Dance Again – 16/11/2017
Jim & Andy: The Great Beyond – Featuring A Very Special, Contractually Obligated Mention Of Tony Clifton – 17/11/2017
Steve Jobs – O Homem E A Máquina – 16/11/2017
Meru: O Centro Do Universo – 16/11/2017
Infantil
Jake Armstrong E Os Guerreiros Flex – 17/11/2017
Dinotrux – Turbinados – 10/11/2017
Glitter Force Doki Doki – Temporada 2 – 10/11/2017
Luna Petunia – Temporada 3 – 17/11/2017
Project Mc2 – Parte 6 – 07/11/2017
Spirit: Cavalgando Livre – Temporada 3 – 17/11/2017

Na última quinta-feira, a Disney fez uma reunião com seus executivos para discutir o futuro da empresa. O CEO Bob Iger deu diversas novidades importantíssimas, como a produção de uma nova trilogia (e uma nova série de TV live-action) de Star Wars, bem como conteúdo original no que diz respeito a filmes, adaptações seriadas de grandes sucessos do estúdio, e até mesmo novas adaptações de personagens e HQs da Marvel.

Isso chamou a atenção do Wall Street Journal, que fez uma matéria completa a respeito do embate entre a casa do Mickey Mouse e a Netflix, que atualmente distribui a maior parte das séries situadas no Universo Cinematográfico da Marvel. Na reportagem, o site afirma: “Embora a Disney atualmente produza séries de super-heróis da Marvel, como Demolidor, para a Netflix, as próximas séries da Marvel no futuro devem ser lançadas no próprio serviço de streaming da companhia.”

Com isso em mente, é possível que novas séries – que seriam planejadas para a Netflix – acabem migrando diretamente para o novo serviço de streaming. Isso, no entanto, não deixa claro se as séries em exibição atualmente – como Demolidor, Jessica Jones, Defensores Justiceiro, entre outras – seriam também movidas para o novo serviço de streaming, ou se continuariam a ter novas temporadas distribuídas pela Netflix.

Em todo esse caso, vale mencionar que, apesar de serem lançadas na Netflix, essas séries não são produzidas pela empresa. Todas elas foram desenvolvidas a partir da parceria entre Marvel Television e ABC Studios, duas subsidiárias da The Walt Disney Company. Por conta disso, é possível que o estúdio apenas mude a forma como essas séries são distribuídas. Como a Disney também está de olho na 21st Century Fox, é provável que ela possa expandir ainda mais o seu catálogo do streamingcaso a compra do estúdio realmente aconteça.

Enquanto aguardamos novidades, você pode conferir imagens de Justiceiro, que será lançada na Netflix:

Variety acaba de anunciar que a Netflix demitiu Kevin Spacey da série House of Cards, na qual ele era o protagonista Frank Underwood e também produtor executivo.

“Netflix não estará envolvida com qualquer produção de House of Cards que inclua Kevin Spacey”, declarou a Netflix em comunicado. “Nós continuaremos a trabalhar com a MRC durante um período de hiato para avaliar os caminhos a seguir relacionados com a série. Nós também decidimos não seguir em frente com o lançamento do filme de Gore Vidal, que estava em pós-produção e que era estrelado e produzido por Kevin Spacey.”

Nos últimos dias, desde que foi acusado pelo ator Anthony Rapp, da série Star Trek: Discovery, de tê-lo assediado quando tinha 14 anos, em 1986, Kevin Spacey passou a ser publicamente denunciado por vários outros homens que alegam terem sido vítimas do mesmo comportamento predatório por parte do ator. Após a divulgação dos casos de assédio dentro da produção da própria série House of Cards, a agência que cuidava da carreira de Spacey rompeu o contrato e sua relações públicas demitiu-se.

A quinta temporada de House of Cards estreou em 30 de maio deste ano na Netflix.

House of Cars tem no elenco Kevin Spacey (Frank Underwood), Robin Wright (Claire Underwood), Michael Keller (Doug Stamper), Joel Kinnaman (Will Conway), Mahershala Ali (Remy Danton), Derek Cecil (Seth Grayson), Molly Parker (Jackie Sharp).

De acordo com a Variety, a Amazon tem planos de produzir uma série de O Senhor dos Anéis. O site diz que a empresa está negociando os direitos com a Warner Television e os administradores do espólio de J.R.R. Tolkien. Nenhuma das partes envolvidas quis comentar a informação.

A ideia da Amazon com a produção de uma nova adaptação do clássico da fantasia é oferecer em seu serviço de streaming um produto de peso que possa ser comercializado internacionalmente. Até o momento, a maioria das produções originais do Amazon Prime Video  são direcionadas a nichos e não trazem muito apelo ao grande público.

Mais informações devem chegar nos próximos meses.

Anthony Rapp, que atualmente participa da série Star Trek: Discovery, revelou neste fim de semana ao site americano Buzzfeed ter sido assediado pelo ator Kevin Spacey, em uma festa ocorrida em 1986. Rapp, então com 14 anos, e Spacey, com 26, se conheceram quando trabalhavam em peças na Broadway. O assédio teria ocorrido em uma festa na casa de Spacey. Em suas redes sociais, o ator pediu desculpas e disse que “hoje vive como um homem gay”.

Ao chegar à festa, Rapp, que não conhecia mais ninguém, ficou entediado. Por isso, foi até o quarto de Spacey e ligou a TV. Quando já não havia mais ninguém na festa, Spacey apareceu, aparentemente alcoolizado. “Ele me pegou nos braços, como um noivo faz com a noiva. Mas eu, a princípio, não demonstrei meu desconforto porque pensei ‘O que está acontecendo?’. E então ele se deitou em cima de mim”, disse o ator, hoje com 46 anos.

Segundo o relato, os avanços de Spacey pararam por aí, porque Rapp se desvencilhou e entrou no banheiro. Lá, viu uma foto do dono da casa abraçado com outro homem. Foi quando lhe passou pela cabeça a ideia de que Spacey poderia ser gay. Rapp então abriu a porta, disse que precisava ir, e foi embora para casa.

A história já havia sido contada parcialmente em uma entrevista que Rapp deu em 2001 — omitindo o nome de Spacey — à The Advocate, uma publicação LGBT. O ator, que fala abertamente sobre sua homossexualidade desde 1992, já havia contado a história para um ex-namorado e alguns amigos. Ele decidiu vir a público após as acusações de assédio sexual de diversas atrizes contra Harvey Weinstein, um dos mais famosos produtores de Hollywood.

A sexualidade de Spacey é tema de especulação há anos, mas o ator sempre deu declarações dizendo que preferia resguardar sua vida privada. O assunto foi inclusive tema de uma reportagem de capa (“Kevin Spacey Has a Secret”) da revista Esquire, em outubro de 1997, há exatos 20 anos.

Desta vez, com as declarações de Rapp, Spacey resolveu falar sobre o assunto. Disse em suas redes sociais não se lembrar do ocorrido, mas pediu desculpas. “Se eu me comportei então da maneira que ele descreveu, eu lhe devo a mais sincera desculpa pelo que foi então um comportamento inapropriado de um bêbado, e sinto muito pelos sentimentos que ele diz carregar consigo por todos esses anos”, diz a nota.

Ele também diz que a história o encorajou a lidar com outras coisas de sua vida e fala, pela primeira vez, abertamente sobre sua homossexualidade. “Como as pessoas mais próximas a mim sabem, já tive relacionamentos com homem e mulheres. Já amei e tive encontros românticos com homens ao longo da vida e escolhi viver agora como um homem gay.”

Kevin Spacey ganhou o Oscar de ator coadjuvante em 1996, pelo filme Os Suspeitos, e o de melhor ator em 2000, pelo filme Beleza Americana. Atualmente é conhecido por interpretar o político Frank Underwood, protagonista da série House of Cards, no Netflix.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs