Crítica | “Operação Red Sparrow” apresenta Jennifer Lawrence em um thriller erótico

O novo filme estrelado por Jennifer Lawrence e dirigido por Francis Lawrence, da saga Jogos Vorazes, estreia no Brasil em 1° de março. Operação Red Sparrow acompanha a vida da bailarina russa Dominika Egorova (Jennifer Lawrence) e sua prematura saída do balé de Bolshoi, após um acidente. Sem perspectiva, a protagonista acaba aceitando fazer parte de um programa de espionagem russo com objetivo de formar agentes para seduzir e investigar inimigos do governo. Dominika é apresentada como uma garota frágil mas com a experiência de vida que vai lhe acontecendo, se torna uma agente calculista e resistente. A trama contém cenas pesadas e gráficas de sexo e violência que chegam a ser um pouco gratuitas em certos momentos.

O filme de espionagem demora a engatar, porém uma vez que a narrativa fisga, o espectador se envolve numa trama envolvente e emocionante. O roteiro cresce com o passar do filme, começando um tanto desinteressante, mas que se desenrola em um excelente desfecho cheio de reviravoltas. A trilha sonora é um pouco óbvia demais mas é bem agonizante, e, os tons avermelhados da paleta de cor contrastam com o clima frio da Rússia.

Matthias Schoenaerts e Jennifer Lawrence em cena de “Operação Red Sparrow”. (📷 Murray Close / 20th Century Fox)

Essa, sem dúvidas, não é a melhor performance da Lawrence, apesar dela estar muito bem. O papel de Dominika não exige muito da atriz, uma vez que as expressões da protagonista são na maior parte do tempo monocromáticas. Os outros atores contam bem a história mas não se sobressaem em nenhum momento. Isso tudo por culpa do roteiro que não desenvolve bem os personagens, deixando-os superficiais, e, do próprio elenco que não tem química. Outro ponto um pouco desconcertante é que os personagens russos falam em inglês entre si, sem nenhuma explicação. Eles só falam a língua nativa em uma única cena que serve de muleta para a história.

A direção demora, mas consegue construir uma atmosfera tensa que juntamente com o roteiro conseguem confundir o espectador pouco atento. Um filme que foge do usual americano, que entrega todas as informações mastigadas para o público, em Operação Red Sparrow a conclusão exige atenção para ser compreendida.

Etiquetas: , ,

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs