WES ANDERSON: um cigarro, um nerd e um relacionamento (PARTE 2)

Já leu meu último post?! Nele eu comecei a falar da carreira de um dos melhores diretores da atualidade, Wes Anderson (pelo menos eu acho q foi no último post, qualquer coisa confira aqui). Se já leu, então vamos continuar com isso. Mas antes, a legenda mestra pra comparar todos filmes do Wes também continua valendo para os últimos filmes dele. Será?!

LEGENDA:

1. Muito paradoxo: cubra um tema dramático com camadas de comédia. Usa-se uma cobertura bem colorida, mas não deixe muito brilhante, use filtros mais foscos, embaçados.
2. Quando se trata de um bom diretor, você precisa ter seus atores de preferência: nessa parte da receita não é recomendável inventar, vá no seguro, um pouquinho dos irmãos Wilson, um ator prodígio nunca faz mal, por isso use o Jason Schwartzman, não tem problema, e pra colocar muitos sorrisos no rosto do espectador não tem como errar, vá de Bill Murray.
3. Folk, Rock Inglês pra dar o tema.
4. A cobertura precisa ter uma simetria perfeita para sair bonito na foto.
5. A fórmula mágica: 4 em cada 5 filmes use essa fórmula.
    5.1. Cigarro: uma marca do cinema e do seu pulmão, o tubo de câncer branco sempre esteve presente nas telinhas e telonas, seja classe, elegância, vício, rebeldia, marca para mafioso ou detetive de filme pulp, entre muitos outros motivos. Porém, nos filmes do Wes eles estão de volta dando uma ideia de depressão, fragilidade emocional.
    5.2. Personagens sem expressão: não, não estou falando de atores sem expressão (não preciso citar nomes, vocês sabem quem são), mas personagens sem expressão, mas apesar disso são profundos, com sentimentos, problemas emocionais…
    5.3. Uma pitada de personagens nerds: não no sentido vasto de hoje em dia, mas no sentido antigo, aqueles que eram meio excluídos, não se encaixam na sociedade, são peculiares, vivem em um mundo à parte, sempre com ideias malucas, mas também sempre habilidosos em alguma área.
    5.4. Relacionamento impossível: o que seria do cinema e da literatura sem os romances impossíveis?! O que seria de Shakespeare?! Mas bem que podiam dar uma facilitada pra mim, parece que tô jogando no modo hard.
    5.5. Relacionamento em crise: como as estradas brasileiras, os relacionamentos além de possuírem barreiras, também são cheios de altos e baixos. E por que não falar quando o relacionamento é aquele pneu que não conseguiu fugir do buraco e tinha um baita de um prego lá dentro?!
6. Preste muita atenção nesse último ingrediente secreto.
– Não saia espalhando para todo mundo, mas cá entre nós acho que é o motivo do sucesso – disse sussurrando.
E o ingrediente secreto é talento. Sabe aquele chocolate gostosinho, simétrico (tá explicado).

O Fantástico Sr. Raposo (2009)

Mais uma vez, Wes conta a história, baseada no livro de mesmo nome por Roald Dahl, de um personagem fora do padrão e que por isso não se acostuma a viver aquela vidinha comum. Senhor Raposo se aventura furtando os armazéns dos maiores fazendeiros da região. Só que essa aventura vai acabar trazendo muitos problemas não só pra sua família, mas para todos animais daquela área. Os animais vão correr ou ficar e lutar?

1. OK: um stop-motion com um toque do Wes Anderson já devia ser motivo suficiente para ir assistir. Porém, o filme toca em temas bem legais que WA costuma abordar em seus filmes como o existencialismo, ou seja, a busca do seu lugar no mundo.

2. OK: Owen Wilson, Bill Murray e Jason Schwartzman

3. Ok: rock inglês (Rolling Stones) e muito folk

4. Ainda não

5.

  • 1. OK
  • 2. Kristofferson
  • 3. OK: Ash
  • 4. OK: relacionamento entre Ash (Jason Schwartzman) e Agnes (Juman Malouf). Não por falta de tentativas.
  • 5. nope

6. OK: nunca falta

Moonrise Kingdom (2012)

O amor é lindo em todas as idades, não é verdade?! Pelo menos pra quem tem alguém. Mas invejas e dores de cotovelo à parte, o filme fofinho, mostra duas crianças que fazem de tudo pra viver um amor impossível.

1. OK: apesar do tema será primeira vista ser um mero filme de sessão da tarde, Wes toca novamente em temas de natureza emocionais e psicológicos, uma vez que Sam e Suzy são criados em um ambiente conturbado e acabam formando a personalidade de cada um.

2. OK: Jason Schwartzman e Bill Murray

3. O filme conta com uma trilha sonora mais calminha com muita música clássica

4. OK

5.

  • 1. OK
  • 2. OK: Suzy
  • 3. OK: Sam
  • 4. OK: relacionamento entre Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward)
  • 5. OK: relacionamento entre Mr. Bishop (Bill Murray) e Ms. Bishop (Frances McDormand)

6. OK: o famoso colorido embaçado

O Grande Hotel Budapeste (2014)

“Last but not least”. Sem sombra de dúvidas, o melhor filme de WA. Um filme bonito, divertido, emocionante, engraçado e com atuações impecáveis.

Senhor Gustave é um concierge de respeito de um famoso hotel da fictícia República de Zubrowka no período entre as 2 Grandes Guerras e Zero Moustafa, o lobby boy que acaba se tornando o sucessor e melhor amigo de Gustave e porque não, maior aliado nessa aventura incrível.

 

1. OK: à primeira vista, temos a aventura de Zero e Gustave fugindo da polícia e dos filhos vilões de Madame D. (Tilda Swinton). Porém, também podemos ver uma história de companheirismo, amizade, respeito e um questionamento a mudança de valores e desvalorização da tradição com o passar do tempo.

2. OK: Owen Wilson, Jason Schwartzman e Bill Murray

3. A trilha sonora conta com músicas clássicas e do folclore europeu, o que acaba propiciando todo essa ambientação que WA quis trazer para o filme.

4. OK: o filme todo parece um bolo decorado

5.

  • 1. OK
  • 2. nope
  • 3. OK: Zero e Gustave
  • 4. OK: relacionamento entre Zero (Tony Revolori) e Agatha (Saoirse Ronan – Brooklyn)
  • 5. nope

6. OK: nunca falta

Até o próximo domingo colorido!

Etiquetas: , , , , , , , ,

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

CONTATO | ANUNCIE

Developed By: Vedrak Devs