10 filmes subestimados da Disney

Nem Que a Vaca Tussa (2004).

Após a fazenda Pedacinho do Céu receber um aviso de despejo, três vacas tentam capturar um bandido chamado Alameda Slim, para receberem a recompensa e pagar as despesas.

⇒A trilha sonora foi feita por Alan Menken autor da trilha de A Pequena Sereia e Bela e a Fera.

Irmão Urso (2003).

Kenai é um jovem índio, quando seu irmão Sitka é morto por um urso, Kenai mata o mesmo, mas por mágica é transformado em um deles, e entra em uma aventura com Koda um pequeno urso que começa a ser um irmão para Kenai mesmo querendo voltar a sua forma humana.

⇒Não só nos faz chorar, como a trilha sonora é fantástica e feita por Phil Collins.

Atlantis: O Reino Perdido (2001).

A aventura de Milo Thatch em busca de um Império, quando descobre pistas em um antigo manuscrito para chegar a Atlantis.

⇒Nessa animação temos a princesa Kidagakash raramente mencionada no universo da Disney, mas é uma personagem feminina fantástica.

 

O Corcunda de Notre Dame (1996).

Um corcunda chamado Quasimodo (meio formado), é um tocador de sino da famosa igreja de Notre Dame, durante sua vida se apaixona por Esmeralda uma cigana, em Paris no século 15 e deverá enfrentar algumas autoridades de um juiz de más intenções.

⇒ O uso de computadores na época já havia passado por vários avanços, assim todos os cenários do filme foram feitos digitalmente.

 

As Peripécias do Ratinho Detetive (1986).

Basil de Baker Street é um famoso ratinho detetive que é contratado por Olívia, que não sabe o paradeiro de seu pai, um fabricante de brinquedo. Só não sabia que seu inimigo Ratagão estava por trás do mistério.

⇒ O compositor da animação foi Henry Mancini.

 

O Caldeirão Mágico (1985).

Um garoto chamado Taron embarca em uma missão heroica, com ajuda de uma espada mágica ele deve impedir que o malvado Horned King liberasse poderes do mal em um caldeirão mágico.

⇒O filme não é muito comentando pois é uma versão “dark”, um visual sinistro que quem assiste pela primeira vez pode pensar “Esse filme é mesmo da Disney?”, e até então não é muito considerado parte das produções de Walt Disney (Sem contar que tem uma personagem princesa chamada Eilonwy).

O cão e a Raposa (1981).

Uma amizade pura entre animais diferentes, o que leva a um filme divertido e conflitos durante a juventude. Dodó é uma pequena raposa órfã que é adotada por uma senhora, depois de um caçador matar sua mãe. Ela convive com Tob um filhote de caça, mas o curioso é como mantém as amizades já que podiam ser inimigos.

⇒O produtor Wolfgang Reitherman trouxe o animal de estimação do filho como uma inspiração e fonte de referência para os animadores.

 

Bernardo e Bianca: Missão Secreta (1977).

Bernardo e Bianca são dois ratinhos de Nova York, membros da Sociedade de Resgate, que ajuda aos necessitados.

Decidem aceitar a missão, ajudando uma garotinha órfã chamada Penny que está em apuros nas garras de Madame Medusa (uma das vilãs mais assustadoras) usando a pequena para encontrar o diamante chamado “O Olho do Diabo”.

⇒No primeiro ano de produção os animadores pensaram em colocar Cruella DeVil como vilã ao invés de Medusa.

 

A Espada Era a Lei (1964).

Adaptações da Disney sobre a fábula do Rei Arthur. Conta à história de Arthur mais conhecido como Wart durante sua juventude, ajuda seu irmão adotivo Kay a se tornar um cavaleiro. Durante os dias Wart encontra a cabana de um feiticeiro desastrado chamado Merlin, e afirma ao garoto que seu futuro será rico em grandeza.

⇒O filme faz parte do “Ciclo Inglês” juntamente com Alice no País das Maravilhas (1951) e Tarzan (1999).

 

 

Você ja foi à Bahia? (1942).

O clássico patriótico para nós, uma live-action mais animação que se passa no Brasil, com os personagens Zé Carioca e Panchito (pássaros latinos), ajudando o pato Donald com suas aventuras.

⇒Um dos clássicos mais espetaculares com a trilha sonora composta por músicas brasileiras como “Aquarela do Brasil“.


Baah Momberg

Menina violoncelista e pianista, se formando na música clássica , saindo da zona de conforto e explorando o mundo.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

CONTATO | ANUNCIE

Developed By: Vedrak Devs