Batman V Superman não se trata apenas da luta entre dois heróis

Quando estreou em 24 de Março de 2016, Batman V Superman foi destruído pela crítica e grande parte do público preferiu não assistir ao filme, fazendo com que ele nem chegasse à marca de 1 Bilhão de dólares em bilheteria que quatro filmes da concorrente Marvel tem. Já não era a primeira vez que um filme de Zack Snyder dividia opiniões, simplesmente não havia um meio termo, somente os que amavam e os que odiavam.

Mas por que esse filme é tão falado até hoje ? Por que ele separa o público ? O que há de errado com ele ? Os erros apontados pela ”crítica especializada” destacavam uma falta de ritmo, acontecimentos sem explicações, desenvolvimento deixado para próximos filmes entre outras coisas. Mas, será que isso é realmente essencial em um filme sobre super-heróis, ou somente estamos acostumados com o modelo Marvel de produzir conteúdo ? Será que fomos “adestrados” de maneira errada, que só nos faz pensar que um lado da moeda é bom, e nem sequer tentar dar uma chance ao outro, com uma nova proposta ?

Uma frase que fez parte de diversas discussões durante esse tempo em que o filme estreou, foi dita pela famosa e injustiçada Martha Kent : “As pessoas odeiam o que elas não entendem”.

Diferente da maioria dos blockbusters atuais, Batman V Superman está escrito nas entrelinhas. Se o espectador não prestou atenção nos diálogos de Bruce Wayne com Alfred, da miragem de Clark Kent com seu pai Jonathan, ou nos discursos super-acelerados de Lex Luthor, com certeza ficou perdido no que o filme tenta dizer e se concentrou apenas nas impressionantes cenas de ação e porradaria.

Durante a maioria de suas falas, Lex Luthor sempre levava Superman em comparação à Jesus. Afinal, o desenvolvimento do Homem de Aço nos quadrinhos foi baseado na história bíblica da criança que nasceu no meio de animais e tentou trazer a paz ao mundo; basta apenas uma leve reflexão para encontrar diversas semelhanças.
O personagem interpretado por Jesse Eisenberg mostrava uma preocupação real e nos faz pensar em diversos momentos “e se?”. E se existisse um ser com poder pra fazer qualquer coisa que quiser, quando quiser ? E se ele resolvesse fazer algo de perigoso à sociedade ? E se ele fosse uma ameça, quem iria pará-lo ? Quem iria controlar alguém que tudo pode fazer ?

Como na história bíblica, Superman tem seus seguidores e os que pedem para que vá embora, para o mais longe que puder. Em Batman V Superman vemos um herói que pensa se o que faz é certo, se está realmente ajudando a humanidade; e de outro lado, um vigilante humano perturbado e preocupado com as ações de um alienígena que ao tentar salvar o planeta, destruiu uma cidade e matou milhares de pessoas, sem querer.

Muita gente reclamou que a batalha entre Batman e Superman durou pouco tempo – no total, oito minutos -, mas na verdade, ela ocorreu durante todo o filme, mas só não foi uma batalha que o grande público esperava : foi uma batalha de ideais.

Depois de todo o caos e todo barulho, Superman está morto, Batman está formando uma liga de seres super-poderosos para proteger o mundo de uma ameaça ainda maior que o Apocalipse, e Zack Snyder está com seus dias como diretor de filmes da DC Comics em risco. Será que fomos justos com eles ?

Será que já estamos prontos para filmes de super-heróis mais profundos, ou preferimos ficar na mesmice de sempre ? Será ?

Artigo retirado do site Nerdalizese

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

CONTATO | ANUNCIE

Developed By: Vedrak Devs