Crítica | Fragmentado “Split”

Shyamalan teve sua estreia com o aclamado pela crítica O Sexto Sentido seguido de filmes como Corpo Fechado e Sinais. Depois disso, ele passou por uma série de fracassos com outros filmes e foi considerado um dos piores diretores de todos os tempos com O Último Mestre do Ar. Mas, ele fez um retorno decente em 2015 A Visita, que recebeu críticas positivas em geral e ele está de volta ao jogo este ano com Fragmentado.

Depois de uma festa de aniversário, três meninas são sequestradas por um homem estranho que tem um caso muito raro de 23 personalidades divididas dentro dele. O que se segue é como as três meninas tentam escapar de Kevin, que ele mesmo está a beira de ter um colapso mental. Desculpe, mas eu não posso contar muito sobre este filme, pois qualquer fato pequeno estragaria a sua experiência.

Esse filme não teria funcionado sem a excelente atuação do James McAvoy. Ele deu o seu melhor desempenho em toda a sua carreira e se destaca como uma das razões para assistir a este filme. Os pontos clichê no filme são ignorados por causa de seu desempenho fenomenal. Suas transições de uma personalidade para outra são excelentes.

Eu não tinha certeza se o filme iria além de um filme típico de sequestro nos primeiros cinco minutos, mas posso te garantir que é completamente diferente de todas as expectativas que você vai criar apesar do diretor colocar alguns de seus toques mais tradicionais no filme.

Também temos Betty Buckley como a psicóloga que tenta ajudar Kevin. Ela acredita que esses indivíduos são especiais com dons únicos que precisam ser entendidos. Através dela aprendemos as informações de que precisamos para que possamos entender um pouco o que Kevin está vivenciando. Ao longo do filme a personalidade conhecida como Barry faz visitas frequentes ao seu escritório e cada visita tem uma sensação de pavor. Cada um parece estar construindo algo. Essas reuniões são muito bem tratadas.

Anya Taylor-Joy também é muito boa como uma das meninas raptadas. Ela apenas estava no lugar errado na hora errada. Seu personagem é incomodado, ela parece desligada da situação. À medida que o filme progride vemos cada vez mais perturbadores flashbacks sobre a infância onde lentamente compreendemos quem ela é e de onde ela vem.

Este é um filme muito bem filmado. Sem dúvidas é um dos melhores filmes do Shyamalan. O uso de luz e sombras é utilizado em toda a extensão. A câmera dá perspectiva para cada personagem e em todo o filme há amplas oportunidades para ver a situação de cada personagem, onde ele deixa a câmera parada bem próxima do rosto deles.

A verdadeira estrela, é claro, é Shyamalan. Este é um filme muito bem dirigido. Shyamalan usa muito closeups neste filme e enquanto muitos filmes dependem muito de closeups e eles às vezes se distraem, eles trabalham aqui pra que você sinta as emoções escondidas que os personagens têm. É a perspectiva falada anteriormente. Os movimentos da câmera são todos bastante lentos, movimentos esses que cria uma sensação de pavor e inquietação.

Fragmentado é um filme cheio de ideias e conceitos escuros e os desloca com charme. No entanto isso não é o fim. A revelação final após o fim do filme de alguma forma muda Fragmentado. É um giro engenhoso que nem todo mundo vai entender, mas é uma torção que vai ficar com alguns como um dos maiores momentos do cinema. Por fim, você tem que assistir Fragmentado o quanto antes.

Etiquetas: , ,


Caio Augusto

Estudante, 21 anos, apresentador do canal Cinerama TV, e o maior fã do Scorsese que você respeita.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

CONTATO | ANUNCIE

Developed By: Vedrak Devs