Punho de Ferro | Crítica aponta a série como a pior série de heróis da Netflix

A Netflix lançou na última sexta-feira (17) mais uma série de herói, sendo a sua quarta série de herói dos Defensores. Os 13 episódios de Punho de Ferro, receberam avaliações negativas da mídia norte-americana. A trama extremamente bagunçada, com cenas de lutas mal dirigidas e um protagonista sem carisma alguma (Finn Jones), foi rotulada de “tediosa” e “decepcionante”.

Nenhuma outra série de herói da parceira Netflix/Marvel estreou com tanta repercussão negativa. O site Metacritic, que armazena as análises dos principais veículos de crítica dos Estados Unidos, deu para Punho de ferro nota 35 numa escala de 0 a 100. A atração mais bem avaliada entre as 4 séries de herói da Netflix foi Jessica Jones (2015), com 81. Luke Cage (2016) ganhou a nota 79, e a primeira temporada de Demolidor (2015) ficou com 75.

A história de Punho de Ferro tem pouco apelo. Um avião com um menino de dez anos, filho de um empresário bilionário de Nova York, cai na região do Himalaia. Os pais do garoto morrem no acidente; ele sobrevive e é criado por monges em uma cidade mísitica chamada K’un-Lun, localizada em uma outra dimensão que se abre em um portal. Lá, passa 15 anos treinando kung fu. Ao atingir o nível máximo de habilidade, se transforma no Punho de Ferro e volta para Nova York.

Os quatro primeiros episódios da série são arrastados, com foco no retorno aos Estados Unidos de um rapaz tido como morto. Danny Rand (Finn Jones) tenta convencer colegas de infância, os atuais administradores da empresa do pai, a Rand Enterprises, de que ele é de fato Danny Rand e conseguiu sobreviver ao acidente de avião, diferentemente do que todo mundo pensa.

A frase “Eu sou Danny Rand”, dita exaustivamente pelo personagem, cansa o ouvido do telespectador.

Só a partir do quinto episódio é possível entender a importância do herói. É o momento no qual fica mais claro o direcionamento da história, que tem conexão com aspectos apresentados nas primeiras temporadas de Demolidor.

A organização criminosa que Danny Rand combate, que usa empreendimentos da Rand Enterprises no tráfico de drogas, é o Tentáculo. A chefona do grupo de ninjas mercenários, Madame Gao (Wai Ching Ho), é a mesma que apareceu em Demolidor.

O público também terá melhor percepção da série com a entrada da enfermeira Claire Temple (Rosario Dawson). Presente nas outras três séries de heróis da Netflix, a carismática personagem dá um respiro para a trama de Punho de Ferro.

Mas só terá essa percepção quem acompanhou as outras três produções, pois a nova série faz várias referências a fatos ocorridos no universo Marvel da Netflix. Claire deverá ser a conexão dos quatro heróis na minissérie Os Defensores, programada para o próximo semestre.

Punho de Ferro traz outra personagem que fez aparições em Jessica Jones e Demolidor: a advogada Jeri Hogarth (Carrie-Anne Moss, de Matrix). Na série, Danny conhece Jeri desde pequeno, já que a advogada conseguiu seu primeiro emprego na empresa do pai dele.

Etiquetas: , , ,


Caio Augusto

Estudante, 21 anos, apresentador do canal Cinerama TV, e o maior fã do Scorsese que você respeita.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

CONTATO | ANUNCIE

Developed By: Vedrak Devs