Rio2C 2018 | Hungry Man, COMBATE e UFC apresentam a première mundial de “Minotauro”

A vida de Antônio Rodrigo Nogueira, que se tornou mundialmente conhecido pelo apelido de Minotauro, nunca foi fácil. E os 70 minutos do documentário Minotauro, produzido pela Hungry Man e coproduzido pelo Canal COMBATE, em parceria com o UFC, combinam com precisão imagens de lutas e depoimentos de adversários, amigos, jornalistas e familiares para ilustrar a permanente busca do baiano de Vitória da Conquista pela superação das adversidades. Dirigido por Fernando Serzedelo e JC Feyer, o documentário ganhou première mundial nesta domingo, dia 8 de abril, no Rio2C.

Responsável pelo projeto do documentário desde o princípio, Serzedelo começou a documentar em 2011 os momentos mais importantes e imperdíveis da trajetória de Rodrigo. No início de 2016, o canal COMBATE e o UFC entraram no projeto, e Fernando convidou Feyer para dividir a direção do filme. Em dois anos, eles filmaram na Bahia, Rio de Janeiro, Estados Unidos e Japão. “Conviver com o Rodrigo ao longo deste tempo foi inspirador para além do filme“, resume Fernando.

JC Feyer conta que acompanhou, como fã, a trajetória nos ringues e octógonos de seu futuro personagem. O desafio que se impôs, ao lado de Fernando Serzedelo, foi o de retratar um lutador de MMA de uma forma sensível e original e conseguir passar para a tela um pouco da grandeza de Minotauro como homem.

Ele rompe completamente o estereótipo do lutador moderno e resgata os valores mais importantes das artes marciais: respeito, hierarquia e disciplina. Rodrigo representou nosso país como poucos, é um grande ídolo, que precisa ser apresentado como lutador e ser humano”, acrescenta Feyer.

Desde o momento inicial do projeto, Minotauro demonstrou sua preferência pelo formato de documentário, para contar sua vida. “Queria dar voz às pessoas que fizeram parte desta trajetória, mostrar imagens reais das lutas e dos problemas que tive de superar”, conta. Os realizadores imprimiram um tratamento cinematográfico ao doc, o que se traduziu na escolha de uma equipe de cinema para Direção de Fotografia, a cargo de Gustavo Hadba, Michelle McCabe e Fernando Young, e Montagem, assinada por Renato Vallone.

📷 Divulgação

Jamais desistir

Entre o épico duelo contra o monstro americano Bob Sapp, no Pride 2002, que abre o filme, e o confronto com Brendan Schaub, na primeira vez em que Minotauro disputou o UFC no Brasil, o espectador vê o brasileiro de muletas, depois das diversas cirurgias a que precisou se submeter.  Nesta passagem, ouve-se que Minotauro lutou pela própria vida, quando um caminhão passou por cima dele na infância e entende-se por que, mais do que uma estrela do esporte, ele é considerado um autêntico herói.

Convidada pelo lutador para ver de perto a grandiosidade do Pride, a jornalista Glória Maria produziu uma reportagem para o Fantástico, em 2003, e testemunhou o impacto que àquela época, Minotauro já despertava. “Mal podíamos sair às ruas com ele, tamanho era o assédio dos japoneses, que a todo tempo lhe rendiam homenagens. Para nós, que pouco conhecíamos o universo das lutas, era estranho ver como brasileiros faziam tanto sucesso do outro lado do mundo”, lembra.

A reportagem, mostrada no documentário, marca a descoberta do MMA pela grande imprensa. “Era incrível assistir às apresentações dos lutadores. Eram como astros de rock”. Minotauro lembra que aquela edição do torneio japonês teve um público de 87 mil pessoas

Feliz com o resultado do filme, Minotauro destaca que ele enfatiza sua luta insistente pela superação, por honrar o lema que sempre o guiou, “jamais desistir”, além de mostrar o esforço que sempre fez pela divulgação do MMA no Brasil.

Aposentado dos octógonos, ele hoje divide seu tempo entre a função de embaixador do UFC Brasil, levando o esporte a cada vez mais lugares e pessoas ao redor do mundo, e o papel de empresário, no comando, com o irmão Antônio Rogério Minotouro, da rede de academias Team Nogueira: “São 11 mil alunos no Brasil e 1.500, fora. Sempre tivemos olho clínico para achar talentos e atrair os melhores treinadores. Nomes como Rafael Feijão e Junior Cigano surgiram no Team Nogueira.” Adepto de primeira hora da responsabilidade social, Minotauro também mantém um projeto social, que leva o nome do Team Nogueira.

As sequelas de uma vida que castigou seu corpo levaram Minotauro a deixar as competições. Mas, quando bate a saudade do octógono, ele não vacila: corre para uma de suas academias e treina duro, até a exaustão:  “Aí, volto pra casa feliz”.

Assista ao trailer:

➡ Com informações da Assessoria de Imprensa! 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,


Alyson Fonseca

É um grande e verdadeiro apreciador da sétima arte.

"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Developed By: Vedrak Devs