Ruy Neto

Ruy Neto

Apenas um garoto que ama cinema.

Crunchyroll contra a distribuição ilegal de animes

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Nas últimas semanas você, otaku, em buscar de ver seu anime como em todos os dias, percebeu que alguns sites simplesmente sairam do ar. Então talvez já leu sobre as intrigas que estão girando entre a Crunchyroll e sites fansubs que distribuem os animes legendados de graça para todos. Muitos deles são compartilhados ilegalmente via streaming em servidores remotos ou locais e, principalmente, por download peer-to-peer, com o uso de torrents.

Como normalmente uma boa parte dos animes não eram exibidos na televisão, nossa única solução era optar pela pirataria. Mas com o passar do tempo surgiram diversas formas e opções para ver aquele anime querido de forma barata e simples, como é o caso da plataforma crunchyroll.

Mas isso não impediu que os sites e os streamings/downloads seguissem. Se brincar, o número até aumentou ao longo dos anos, sendo totalmente gratuitos e monetizados com banners de publicidade, como todos já sabem.
Com a chegada de grandes provedoras globais como a Netflix e Amazon prime, os direitos autorais, que passavam à “vistas grossas” por aqui, passaram a ser requeridos pelos atuais donos de exibição na região.

É o caso da nossa grande amiga Crunchyroll, que saiu derrubando a rodo sites que exibiam uma grande parte dos animes do seu extenso portfólio. Aqui em nossa querida terra tupiniquim não foi diferente.

animes
Fonte: Mais de Oito Mil

Ela magicamente descobriu sites que estavam anônimos e que nem eram para “existir”. Ela conseguiu os dados dos donos dos domínios de forma “ilegal” (provavelmente deve haver meios legais de conseguir tal feito) e ilegalmente está fazendo com que os sites redirecionem os seus domínios ao site de quem tem os direitos de transmissão legal, ou seja, a ela própria.

A Crunchyroll quer monopolizar o mercado de exibição de animes? Não, apenas está exercendo seu direito. Os sites ilegais em questão se mantinham com base em seu conteúdo e, de certa forma, muito contribuíram para a massificação desses animes no mercado brasileiro, vendo pelo lado positivo.

Depois de saber disso tudo, o que resta para todos é esperar para ver no que esse tornado de intrigas vai dar.

Veja também: “Melhores animes que assisti em 2018″

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia também: