Paula Priscila de Melo Barbosa

Paula Priscila de Melo Barbosa

Produtora de conteúdo do CINERAMA 🎬🎥 25 anos🎂 Direito 🎓 Conciliadora TJPB ⚖ Pesquisadora/Ativista de Direitos Humanos e Ambientais 🌳🐾 Apaixonada por Arte, Cultura e Astrofotografia. 🎭🎨🔭 Maior fã de Chico Buarque, Tom Jobim e Nelson Rodrigues.🎶🎹📚 "A arte é o desencadear da nossa dor. Tanto para quem faz, quanto para quem contempla" — sim, essa citação é minha!🍃IHS📿🙏♥

Crítica | A Serbian Film – Terror Sem limites

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Para quem gosta de filme no estilo terror, gore, horror, torture porn etc… TERROR SEM LIMITES é a película que você precisa assistir! Esta produção não é nada comum, ela é capaz de despertar ânsia de vômito nas pessoas. Getro descreveu como as pessoas que já assistiram classificaram essa perturbadora obra cinematográfica: “forte, deprimente, repulsivo, incompreendido e até perigoso”. Sim, foi considerado PERIGOSO por uma liminar da Justiça Brasileira em 2011. O longa enfrentou uma dura batalha judicial em nosso país e até hoje continua inédito em DVD e Blu-ray.

Srpski film (em sérvio: Српски филм; bra: A Serbian Film – Terror sem Limites) é o primeiro filme do diretor sérvio Srđan Spasojević, lançado em 2010. Ele conta a história de um ator pornô que está no fim da carreira e que concorda em participar de um filme com muita “arte”, mas é levado a fazer cenas exploratórias com abuso infantil e necrofilia. O filme estrela os atores sérvios Srđan Todorović e Sergej Trifunović.

Se você está acostumado com “Jogos Mortais”, “O Albergue” ou algo similar, saiba que Serbian Film está muito além disso. o filme sérvio se enquadra no gênero Cinema Extremo produções que levam ao limite do suportável, a violência e a situações de tensão e medo. Sem deixar cair em apelações baratas, mau gosto ou trash absoluto. São trabalhos de forte carga emocional, no sentido de provocar no espectador inquietação e incomodo
 – seja através das imagens, da temática (que é muitas vezes é moralmente condenada), ou da linguagem utilizada.

Antes de estrear oficialmente no Brasil, Serbian Film causou polêmica na Europa, chegando a ser proibido em alguns países como: Itália, Grécia e França. Outros países, ainda, proíbem apenas a exibição de alguns trechos do filme, como na Austrália que censurou oito minutos do filme. Os locais ode conseguiu ser exibido, só causou constrangimento e mal-estar.
A controvérsia aqui no país, começou em julho de 2011, durante o RIOFAN (um Festival de Cinema Fantástico de terror que acontece todos os anos no RJ). Selecionado para participar do evento, Serbian Film teve sua exibição vetada pelo patrocinador que mantinha o espaço onde a película seria exibida. Obstinados, os organizadores do Festival marcaram a exibição em outro cinema, mas nada adiantou… atendendo a pedidos de uma juíza da Vara da Infância e da Juventude, o filme teve sua exibição PROIBIDA. A magistrada que se baseou no Estatuto da Criança e do Adolescente atendeu a uma ação ajuizada pelo Diretório de DEM-RJ, inclusive, nessa ocasião a única cópia 35mm do filme foi apreendida e confiscada pela Polícia Federal. Até o Deputado Marcos Feliciano se meteu no meio dessa treta. Ele falou na Câmera dos Deputados em “defesa dos valores da família brasileira”, disse ele:

“Mais uma vez faço uso dessa tribuna para deixar o meu voto de repúdio a exibição, aqui, no Brasil, de um filme que acabou de chegar de nome ‘Serbian Film’. A justiça de Minas Gerais entendendo que esse filme era um problema, proibiu a sua exibição lá… a nível da Federação foi feito apenas um paliativo, dizendo que esse filme tem que ser exibido para pessoas acima de 18 anos. Esse filme exibe literalmente cenas de sexo entre crianças, de pessoas com pedofilia e coisas mais. Deixo meu voto de repúdio, que se traga mais problemas para um país que mal consegue resolver os seus.”

Começou a complicação para Terror Sem Limites, programado para estrear no Circuitão no dia 05 de agosto de 2011, o filme teve seu processo de classificação indicativa cassado pelo Ministério da Justiça. Sem esse selo, a obra ficou impossibilitada de ser exibida no Brasil. Esse é um fato que não ocorria no país desde 1985, no finalzinho da ditadura civil-militar quando o filme francês “Je Vous Salue, Marie”, de Jean-Luc Godard foi proibido pela justiça brasileira. A proibição gerou uma grande mobilização dos profissionais de cinema e notas de repúdio emitidas pelas entdades representativas de classe.

Quem mais saiu lesionado nessa história foi a PETRINI FILMES, uma pequena distribuidora sediada em São Luís-MA que, havia adquirido os direitos da obra por dez mil dólares. No intuito de derrubar as acusações da justiça de que o filme feria o Estatuto da Criança e do Adolescente o pessoal da PETRINI divulgaram fotografias e vídeos de bastidores, com o objetivo de mostra que nenhuma criança estava presente no momento das filmagens. Nos vídeos apresentados é possível ver que foram utilizados apenas próteses, bonecos e truques de edição nos momentos mais impactantes. Não houve sucesso, nada disso sensibilizou a justiça brasileira, o filme só foi liberado quase um ano depois, em 12 de junho de 2012 quando o Diretor Geral da Polícia Federal enviou um Ofício ao Ministério da Justiça dizendo que o filme não incorria em nenhuma modalidade criminal… a poeira baixou, mas o estrago já estava feito. Poucos exibidores se prontificaram a passar a fita e A Serbian Film ficou condenada a apenas algumas sessões especiais.

O pior da história é que a proibição veio de pessoas que não assistiram o filme. A obra foi acusada de conter cenas de pedofilia e necrofilia quando de fato, nada disso está presente na tela. Existem, sim, muitas cenas violentas envolvendo crianças, sexo e corpos dilacerados mas o sufixo “filia/philia” que vem do grego e significa afinidade patológica ou atração, não está presente na fita!

Polêmicas e proibições infundadas à parte, o fato é que o filme sérvio não é mesmo para qualquer público. Na trama, o ex ator pornô Miloš que, tenta levar uma vida tranquila com a sua família é convidado por uma ex-colega de profissão, Lejla, para participar de um novo filme produzido por um figurão da indústria pornô, o salário é excelente e o sujeito é um artista experimental que está disposto a fazer um filme “pornô de arte”.
Em um país como a Sérvia, onde poucos conseguiram reconstruir suas vidas, após anos de guerra a oportunidade de voltar a trabalhar soa tentadora e, claro que, ele topa participar do filme. Miloš assina um contrato às escuras, sem saber que irá fazer parte de snuff (produções onde assassinatos são realizados de verdade durante as filmagens), quando ele percebe no que se meteu e tenta sair, não consegue abandonar o projeto, colocando em risco até a vida de sua família.

SPOILER ALERT

As partes do longa em que a justiça encasquetou
Quando Miloš começa a gravar o filme, o diretor da película,
Vukmir (que é um pseudointelectual) coloca algumas crianças para interagir com Miloš… em uma cena ele faz sexo com uma mulher que sofreu abusos, enquanto uma menina vestida de Alice assiste a tudo, as crianças ficam observando ele transando e com violência em certos locais. Em outra, um homem ajuda uma mulher a dar à luz e estupra a recém-nascida. Miloš tenta pedir demissão e a produção não libera a saída, então, ele é drogado. Tem uma auxiliar a quem ele se refere como “doutora” que dá estimulante sexual para o Miloš, os produtores bricam e dizem que é um viagra pra touro, é uma medicação muito forte que o Miloš fica completamente alucinado com o pênis duro o tempo todo. Daí levam o Miloš para o set de filmagem e colocam ele ao lado de uma adolescente, numa situação constrangedora – mesmo dopado Miloš percebe que está sendo induzido a fazer algo que ele não quer e ele consegue fugir dessa cena, mas é capturado e é colocado em outra cena.
Miloš se enfurece e decide abandonar o projeto. É sedado e acorda três dias depois, coberto de sangue e sem se lembrar do que aconteceu. Volta para o set de filmagem e descobre gravações mostrando que, nos dias anteriores, foi drogado para se manter num estado de permanente agressividade e excitação sexual, estuprando uma mulher algemada a uma cama, cortando seu pescoço e violando o cadáver. Outra cena mostra Lejla sendo violentada por um homem que introduz o pênis em sua boca até ela morrer asfixiada. Assistindo a mais gravações, Miloš descobre que foi levado a estuprar seu filho sedado, enquanto seu irmão estupra, ao lado, sua mulher, que estava sedada.
Na cena, a mulher de Miloš recobra a consciência e consegue, com a ajuda do marido, enfrentar Vulkmir e o resto da equipe. Os dois conseguem matar o diretor e seus guarda-costas.
Depois de se lembrar de tudo, Miloš resolve cometer suicídio. Sua mulher concorda e propõe a morte de toda a família. Ele mata a si mesmo, à mulher e ao filho com um tiro.
Algum tempo depois, outro diretor de cinema chega ao local, com um ator pornô e uma equipe de cinema, e inicia uma filmagem dizendo: “comece pelo menino”.

Em entrevista, o diretor Srđan Spasojević afirma que não tinha a intenção de fazer um filme para chocar e muito menos um filme de terror. Segundo Srđan Spasojević, tudo alí é alegoria política, uma crítica social às atrocidades pela qual passou a Sérvia em sua história recente. A desculpa soa como atrevimento, mas se examinarmos a história da Sérvia que vive numa zona beligerante ao lado da Croácia e da Bósnia, a gente encontra até alguma justificativa.
Nos anos 90 sob o comando de Slobodan Milošević, a Sérvia que sempre viveu pacificamente ao lado de outras etnias, passou a promover de uma hora pra outra massacre aos seu vizinhos, reza a lenda que as atrocidades cometidas nesse período foram registradas em VHS pelos próprios sérvios e que esse material, hoje, encontra-se disponível na Deep Web, entre essas filmagens brutais encontra-se cenas de estupros, torturas coletivas envolvendo crianças e até bebês, execuções sumárias, onde os soldados chegavam nos vilarejos e degolavam os chefes de família na frente dos entes queridos e jogavam os corpos em rios congelantes… dizem que tem uma cena em que o próprio Slobodan Milošević torturando um cidadão utilizando uma serra elétrica.
Essa, infelizmente, foi a infância que conheceu o diretor Srđan Spasojević, mas nada disso diminui o fato de que a obra é realmente repugnante.
Se você é uma pessoa de estômago fraco, sensível, que se impressiona com facilidade fuja de um filme sérvio, NÃO ASSISTA A SERBIAN FILM – É UM AVISO!
Mas se você gosta da temática, já está acostumado com cinema extremo e se anima com películas perturbadoras, NÃO ASSISTA TAMBÉM! O filme impressiona bastante, as torturas psicológicas por qual passa o protagonista parece que ultrapassar a tela e atinge o telespectador. Getro disse que a primeira vez que assistiu o filme teve fortes dores de cabeça, ficou sem dormir por várias noites e sentiu muita angústia. Quando eu assisti a primeira vez, eu assisti com um grupo de amigos… eles falaram que eu era doente por colocar um filme desse tipo para eles assistirem e uma amiga ficou com vontade de vomitar, na hora de voltar pra casa o silêncio reinou dentro do carro… meu melhor amigo ficou uma semana sem falar comigo e quando vinham falar comigo, era pra dizer o quanto o filme é repulsivo e causava incômodos. Eu tento ser o mais racional possível, o filme realmente deixa marcas na memória, é muito difícil esquecer um filme desse gênero, mas eu sempre tento imaginar o que levou o diretor a elaborar algo com essa produção, e, estudando a história da Sérvia, fica claro que algumas verdades são difíceis de serem ditas, de serem vistas e principalmente vivenciadas. Eu, particularmente, considero genial esta obra cinematográfica e mais uma vez repito: a arte é o desencadear da nossa dor, tanto para quem faz, quanto para quem a contempla.
Srđan Spasojević está de parabéns por reproduzir os problemas do seu país num longa-metragem, despertando assim, a curiosidade, a preocupação e o interesse pela pesquisa da sua obra.

__________________
Referência:
https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/guerra-bosnia.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Srpski_film
http://www.getro.com.br/2014/04/serbian-film-proibidao-do-brasil/

Veja também: “Os 5 melhores filmes +18 para assistir na Netflix

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia também: